Tag Archive | "Fontes Renováveis"

Bamboo_Bottle2

Tags: , , ,

Garrafa reutilizável de bambu.

Postado em 23 agosto 2010 por Elisa Quartim

A Bamboo Bottle tem exterior de bambu, tampas e fundo de plástico reciclado e interior de vidro que é também 60% reciclado.

O Bambu por ter um crescimento rápido acaba sendo um caminho mais sustentável. Vejam alguns fatos sobre o bambu:

  • Bamboo reabastece no ambiente o ar que respiramos.
    Bamboo libera 35% a mais de oxigênio  do que o equivalente em árvores. E pode seqüestrar até 12 toneladas de dióxido de carbono do ar por hectare. (Bamboo realmente ajuda a combater o aquecimento global!
  • A colheita do bambu não destrói o seu sistema radicular, ou seja, não há erosão do solo.
  • A colheita do bambu minimisa os impactos da vida selvagem, em comparação a extração de grandes madeiras, onde máquinas grandes rasgam a terra.
  • O bambu é colhido em áreas designadas e apoiado pelo governo chinês para a sustentabilidade da espécie.

Além disso cada parte da garrafa é fácil de desmontar, facilitando a limpeza (o bambu não pode ser lavado em máquina de lavar) e viabilizando a reciclagem de seus materiais no final do seu ciclo de vida. Mas o objetivo da garrafa não é a reciclagem, e sim a sua reutilização para que não gere mais nenhum tipo de resíduo.

Fonte:

http://www.bamboobottleco.com/

http://www.ecoblogs.com.br/

Comentários (0)

traaaaaaaaaaack12-300×200

Tags: , ,

Flagship da Track & Field

Postado em 26 maio 2010 por Elisa Quartim

Agência brasileira Dezign com Z desenvolveu um projeto inovador e ambientalmente correto para a primeira Flagship da Track & Field em Nova York.

O desafio era integrar o estoque da loja ao projeto arquitetônico de Arthur Casas.

Além de criar toda a identidade visual da loja, como sacolas, tags de roupas e gift cards, a Dezign com Z desenvolveu uma embalagem prática, bonita e conceitual para guardar os produtos da grife esportiva. São mais de 1.000 cápsulas transparentes expostas em um display de mercadorias cobrindo uma parede inteira da loja.

Este novo modelo de estoque permitirá que o próprio cliente encontre a peça que procura, pois os itens estarão organizados por estilo, cor e tamanho, sendo também funcional. Para reduzir o impacto ao meio ambiente, as cápsulas foram produzidas a partir de um plástico natural chamado Ingeo, composto por plantas e sem a utilização de petróleo na fórmula.

Essas embalagens são produzidas por meio de recursos anualmente renováveis e têm menor impacto ambiental e menor emissão de GHG (gases do efeito estufa) em relação aos plásticos comuns. A ideia é que estas embalagens sejam reaproveitadas após a compra (para guardar roupas molhadas após a academia, levar acessórios e protetor solar para a praia, entre outras utilidades). Mas, caso o consumidor acumule muitas dessas cápsulas em sua casa, ele poderá devolvê-las para que a grife possa reaproveitá-las.

Fonte:
http://www.belasartes.br/bablog/tendencias/dezign-com-z-desenvolve-projeto-inovador

http://www.designcomz.com.br/

Comentários (0)

SunChips-Plant-based-compostable-bag-22-193×300

Tags:

SunChips – Primeiro salgadinho 100% compostável

Postado em 23 fevereiro 2010 por Elisa Quartim

A Frito Lay do Canadá (uma divisão da PepsiCo) lançou a primeira embalagem de salgadinho 100% compostável do mundo.

A nova embalagem da SunChips será feita a partir de mais de 90% de energias renováveis e materiais à base de plantas, o acido poliláctico (PLA). A embalagem poderá se decompor, virando adubo, em um ambiente de compostagem com temperaturas altas, em 14 semanas. Ou seja a decomposição da embalagem não funciona tão bem em temperatura ambiente, mas é um caminho para esse tipo de embalagem que em sua maioria são vendidas em papel laminado não reciclável.

A embalagem é certificada pelo  Biodegradable Products Institute (BPI)

A nova embalagem não irá interferir no gosto do salgadinho.

Certified through the Biodegradable Products Institute (BPI), reconhecido internacionalmente.

Vejam o video mostrando a decomposição da embalagem

Fonte:

http://www.triplepundit.com/

http://www.bpiworld.org/

Comentários (0)

Ecovative_divulgacao

Tags: , , ,

EcoCradle – Isopor feito de fungos e resíduos agrícolas

Postado em 05 dezembro 2009 por Elisa Quartim

Jovens americanos desenvolveram um novo tipo de isopor que composto por raízes de fungos e resíduos agrícolas, este novo material pode ser moldado em qualquer forma, tem baixo custo de produção e pode ser reutilizado ou aplicado como fertilizante. O composto é feito com pequenas raízes de fungos chamados micélio e resíduos agrícolas como a casca de arroz, trigo ou sementes do algodão.

Essa nova descoberta vem para substituit o poliestireno, mais conhecido como isopor. O poliestireno é um material de difícil reciclagem e não é degradável. É derivado do petróleo uma fonte não renovável. Sua produção mundial chega a 35 milhões de toneladas anuais. Mais de 70% dessa carga é usada na construção civil.

Essa grande descoberta foi feita pelos jovens Eben Bayer e Gavin McIntyre, ambos graduados pelo instituto politécnico Rensselaer, em Nova York. A dupla já tem 100 mil unidades do “EcoCradle” encomendadas para 2010. Segundo eles eles empregam um material que não serve nem mais para a alimentação animal e é o que produzimos é um material alternativo ao poliestireno, que tem o mesmo desempenho físico, mas é degradável no meio ambiente, ou pode ser reciclado.

Bayer e McIntyre abriram sua empresa, a Ecovative, com pouco mais do que uma boa ideia. Agora, já patentearam o produto em 30 países e receberam apoio da Agência de Proteção Ambiental, do Departamento de Agricultura e da Fundação Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

Além disso, receberam no ano passado 500 mil euros por terem vencido o “Desafio Verde” da loteria holandesa Postcode, um prêmio que estimula o desenvolvimento de produtos que diminuam as emissões de gás carbônico (CO2).

Vejam o vídeo sobre o EcoCradle

Vejam como ele é feito

Fonte: http://www.estadao.com.br/

http://www.ecovativedesign.com/

Comentários (0)

Bryce Corporation – Bag de Sunchips com 33% de PLA

Tags: , , ,

Bryce Corporation – Bag de Sunchips com 33% de PLA

Postado em 05 novembro 2009 por Elisa Quartim

Bryce Corporation – Bag de Sunchips com 33% de PLA

sunchips

Produzida por Bryce Corp ‘s (www.brycecorp.com) Sunchips é uma embalagem de salgadinho onde um terço dela, na sua camada exterior, é de PLA da NatureWorks (www.natureworksllc.com) resina Ingeo, ou seja é feita à base de milho uma fonte renovável.

A introdução foi anunciada como a primeira etapa de um redesign da embalagem de  SunChips que culminará em uma embalagem 100% reciclável, em 2010.

A Frito-Lay identificou e desenvolveu uma forma sustentável de origem filme, compostável, que fosse adequado para o acondicionamento de produtos nos equipamentos de embalagem existentes. O projeto envolveu rastreio de bio filmes disponíveis, que mais tarde selecionaram a SKC, Inc.  (www.skcfilms.com) como o fornecedor filme.

Eles tiveram que desenvolver procedimentos especializados e e dar condições para a impressão e laminação dos filmes, porque suas características físicas eram muito diferentes dos filmes de origem de combustíveis fósseis normalmente utilizados para embalar salgadinhos. Outra dificuldade foi o uso de um acabamento fosco para o filme.

Agora só falta aguardar o desenvolvimento de uma embalagem 100% de PLA e compostável.

Fonte: http://www.greenerpackage.com/

Comentários (0)

Estée Lauder – Shampoo Vintage Aveda Clove

Tags: , , ,

Estée Lauder – Shampoo Vintage Aveda Clove

Postado em 04 novembro 2009 por Elisa Quartim

Estée Lauder – Shampoo Vintage Aveda Clove e programa de coleta de tampas

Bild-Aveda-Vintage-Shampoo

Lançada para celebrar seus 30 anos de exixtência, o shampoo Clove de Aveda, voltou com a mesma aparência retrô com as imagens gráficas da primeira embalagem mas com uma nova roupagem. A garrafa é feita de 96% de  polietileno de alta densidade de pós-consumo (PCR),  e esse material usado de pós consumo  vem de um programa de recolhimento de suas emnbalagens.

Aveda é produzida com embalagens de glões de leite reciclado a resina é proveniente de circuito fechado de reciclagem KW Plásticos (www.kwplastics.com), enquanto as garrafas são fabricados por TricorBraun (www.tricorbraun.com).

Mas o maior desafio apresentado pelo projeto foi achar PP reciclado para as tampas e para que o projeto fosse para frente  Aveda decidiu começar um programa de reciclagem própria. Hoje, mais de 600 escolas e organizações juvenis, junto com os salões de Aveda e centros de experiências em lojas de varejo, estão matriculados no programa de coleta de tampas.

Desde 2008, o programa reuniu mais de 150.000 kg de plástico, ou aproximadamente 17 milhões de tampas, se transformaram na nova resina por KW Plásticos. Com o desafio de manter um fluxo limpo de material reciclado podendo ser moldado por injeção em peças novas.

Uma embalagem sustentável dos pés a cabeça.

Fonte: http://www.greenerpackage.com/

Comentários (0)

petvsplablkballoons-184×300

Tags: ,

Cool Change, água com garrafa em PLA.

Postado em 04 outubro 2009 por Elisa Quartim

Cool change

A Cool Change Natural Spring Water é a primeira a água mineral da Austrália que usa frasco elaborado com bioplástico Ingeo™. No Brasil ele é comercializado pela Cargill

O design gráfico é limpo, com um bom uso de tipografia e seu símbolo lembra o ciclo de vida cíclico do produto.

As garrafas de Cool Change Natural Spring Water são elaboradas com o PLA Ingeo™ (Acido Poliláctico), ele é um bioplástico derivado dos açúcares das plantas, um recurso anualmente renovável. Já as garrafas em PET (Tereftalato de polietileno) derivado do petróleo,é um recurso não renovável.

PLA Ingeo™ se desintegra em cerca de três a quatro meses sob condições de compostagem industrial (umidade de 80% e temperatura constante superior a 60º C) ou um pouco mais se descartado na natureza, sem produzir resíduos tóxicos.

bottle_biodegrading

Pode também ser reciclado junto com outras garrafas feitas de PLA, não pode ser misturado ao PET.

O uso do PLA Ingeo™ utiliza 67% menos combustível fóssil para fazer a resina dos frascos comparados ao PET de tamanho similar. Isto conduz a 90% menos em emissões de gases de efeito estufa para se fazer a resina. Todas as emissões de gases de efeito estufa que são produzidas no processo de produção estão sendo diminuídos, minimizando o impacto no meio ambiente.

petvsplablkballoons-184x300

O uso do bioplástico Ingeo™, retem o gosto natural da água mineral e é uma alternativa mais amigável a sua saúde e ao planeta. A água mineral Cool Change Natural Spring Water está atualmente disponíveis em lojas cafés, restaurante, lojas de produtos orgânicos em toda Austrália.

Comentários (3)

terraware_groupr

Tags: ,

Pratos e talheres à base de milho.

Postado em 22 setembro 2009 por Elisa Quartim

terraware_groupr

Uma linha de talheres e pratos feitos de bioplástico à base de milho.

Produzidos pela TerraWare, eles tem ótima durabilidade, podem ir ao microondas ou lava louça, e quando descartados se degradam rápido (cerca de quatro a seis meses) ou podem ir para compostagem.

Não encontrei informações melhores sobre a embalagem, mas parece que é feito em papel reciclado. O design gráfico explora muito bem a tipografia e as cores complementam o conjunto “eco-friendly”.

Este produto pode ser encontrado no supermercado Whole Foods dos Canadá e Grã Bretanha

http://terrawareproducts.com/

Fonte: http://vidasimples.abril.com.br/

Comentários (0)

cyclus-margarine

Tags: , , ,

Margarina Cyclus – biodegradável e de fonte renovável

Postado em 17 junho 2009 por Elisa Quartim

cyclus-margarine

A Bunge introduziu no mercado brasileiro a embalagem primária biodegradável, proveniente de fonte renovável, que se degrada em até 180 dias em condições adequadas de umidade, calor, microorganismos e oxigênio.

Ganhador do Prêmio Embanews na categoria Sustentabilidade.

O pote para a margarina Cyclus, da Bunge, transformado pela Poly-vac, é produzido com resina PLA, derivada do milho, fornecida pela Iraplast/Cereplast, aprovada segundo as normas ASTM D6400, EN 13432 e ABNT 15448, que atestam que sua biodegradação não afeta o crescimento de plantas, animais e micro-organismos no meio ambiente, contribuindo para a redução de resíduos sólidos.

O processo de produção do PLA se baseia na fermentação e na destilação. Uma primeira vantagem é que o processo utiliza entre 20% a 50% menos combustível que os processos de produção de polímeros convencionais. A nova resina já está testada e aprovada, inclusive pelo FDA para o contato com alimentos, para utilização nos processos de extrusão (filmes), termoformagem (potes) e sopro (garrafas).

Como propriedades, o fabricante destaca a versatilidade de processamento, a alta transparência e brilho, barreira a aroma e sabor, e resistência a óleos e gorduras. O filme de PLA já está sendo utilizado na Europa para embalar pão em substituição ao polipropileno (PP). Neste caso, o resultado é um aumento considerável da vida de prateleira do produto.

A resina também foi adotada pela Coca-Cola para produção dos copos termoformados utilizados nos Jogos Olímpicos de Inverno de Salt Lake City (EUA). A rede de supermercados IPER, da Itália, também está adotando a resina PLA nas suas embalagens para alimentos frescos e massas, aproveitando-se do apelo “produto natural em embalagem natural”. As novas embalagens substituirão as tradicionais bandejas termoformadas cobertas com filmes selados a quente.

Os especialistas vêem o PLA substituindo, com vantagens, o celofane, nas embalagens de torção, e o PET e o PP em outras aplicações. Na termoformagem, a nova resina trabalha a temperaturas mais baixas que o PET e alcança uma produtividade semelhante à do poliestireno (PS). O seu preço, contudo, ainda não é totalmente competitivo: US$ 2,42/Kg.

http://www.saudecyclus.com.br/

Fonte:http://www.embanews.com/premio/premio_2009/premio_2009/premio_sus_1.htm

http://www.abief.com.br/flex/flex_0005.asp

Comentários (12)

plushchocolate

Tags: ,

Caixa de chocolate feita com amido de milho

Postado em 09 abril 2009 por Elisa Quartim

plushchocolate

A Plush Chocolates lançou seu chocolate em uma embalagem feita de amido de milho da Plantic Packaging que combina os benefícios funcionais e ambientais.

Com 85% de recursos renováveis, a bandeja é biodegradável e compostável, atendendo a legislação européia EM 13432 e a americana ASTM 6400.

Oferece propriedas antiestáticas e barreiras de odor, essenciais para embalagens de chocolates.

Ela ainda pode ser descartada para compostagem em casa e assim o uso de energia reduz-se pela metade

Plantic Techonologies: http://www.plantic.com.au/

Plush Chocolates: http://www.plushchocolates.co.uk/

Fonte: Revista Pack

Comentários (3)

Advertise Here

Assine

Insira seu endereço de email nos campos abaixo:
Newsletter Embalagem Sustentável

 
Receba atualizações do site via FeedBurner

Grupo EmbalagemSustentavel
Nossa lista de discussão no Yahoo!
* Embalagem Sustentável é contra spam

Veja também