Archive | Redução

coca-cola-bag-saco-01

Tags: ,

Coca Cola em saquinho plástico

Postado em 28 janeiro 2013 por Elisa Quartim

coca-cola-bag-saco-01
Em alguns países da América latina é matido o costume de comprar refrigerantes em embalagens de vidro retornáveis. Mas esta opção de embalagem muitas vezes não é muito prática quando a pessoa quer tomar em movimento ou no caminho para sua casa, além de terem que pagar uma taxa extra para levar o vasilhame.
Para diminuir o custo, em alguns países como em El Salvador, já é tradição dar uma opção de levar a bebida em um saquinho plástico com um canudo, assim não é preciso repassar o preço da embalagem para os clientes.
Partindo dessa ideia, foi feito um video que tem sido compartilhado na internet falando que a coca-cola tinha abraçado essa ideia e feito uma versão de embalagem para a coca-cola mantendo a sua identidade inspirada na clássica garrafa “Mae West”.
Vejam o vídeo:

 

 

Porém após pesquisar o assunto descobri que o video foi desmentido pela Coca-Cola em um comunicado oficial.
Vejam a notícia aqui:
http://www.clubdarwin.net/seccion/packaging/coca-cola-desmiente-lanzamiento-de-formato-en-bolsa-de-plastico

Uma pena, pois a embalagem tinha várias vantagens como usar menos material, ocupar menos espaço, ser uma opção mais barata e já partir de uma cultura local.

O uso e a ergonomia são questionáveis, mas cumpre a função do consumo rápido da bebida.

A embalagem retornável em geral é mais sustentável, pois em tese não gera resíduo, mas dependendo do uso e da forma de descarte, essa opção pode ser mais interessante.

 

Fonte:

http://www.designergh.com.br/2012/07/coca-cola-de-saquinho-e-mais-barata.html

Comentários (1)

flexite

Tags: ,

Flexite substitui embalagem tipo blister por tubo com furo de gancheira.

Postado em 24 julho 2012 por Elisa Quartim

 

A Henkel do Brasil, como parte da Estratégia de Sustentabilidade para 2030, investe em pesquisa e desenvolvimento de novas embalagens. Um dos resultados desta pesquisa é a substituição das soluções convencionais da Linha Flexite, compostas por cartela, blister e tubo.

Com a inovação, o produto passou a ser comercializado apenas com o tubo, que apresenta um furo de gancheira na própria embalagem primária, deixando de utilizar a cartela e o blister. Com isso, a Henkel economiza 1.770.000 litros de água, 88.500 kw/h de energia elétrica e poupa o corte de aproximadamente 1060 eucaliptos por ano.

Por mais de duas décadas, a Henkel, publica seu Relatório de Sustentabilidade juntamente com seu Relatório Anual. Na 21ª edição, a empresa apresenta sua nova Estratégia de Sustentabilidade para 2030. O cerne da nova Estratégia de Sustentabilidade é a meta de alcançar mais com menos e triplicar sua eficiência. Ela se aplica a todos os setores de negócios e a toda a cadeia de valor.

Até 2030, a Henkel visa a utilizar apenas um terço dos insumos atuais para cada euro gerado. Para reduzir sua pegada ecológica e tornar o consumo sustentável possível, a empresa definiu três abordagens principais: produtos, parceiros e pessoas. Por meio de seu comprometimento e conhecimento, os aproximadamente 47 mil colaboradores da Henkel em todo o mundo contribuem para executar a nova estratégia. Indo além do foco de negócio – desenvolver e criar produtos inovadores – a empresa pretende também envolver ainda mais seus clientes e consumidores, bem como seus fornecedores e os usuários finais em seus esforços para estimular a sustentabilidade em toda a cadeia de valor.
Fonte:

http://www.embanews.com/

http://www.henkel.com.br

Comentários (1)

KeepCup, copo de café reutilizável para viagem

Tags: ,

KeepCup, copo de café reutilizável para viagem

Postado em 08 maio 2012 por Elisa Quartim

KeepCup é um copo de café que se assemelha a um copo descartável, mas totalmente reutilizável e com design inovador. Concebido em 2009 pelos irmãos Jamie e Abigail Forsyth como uma solução para os problemas dos resíduos causados ​​pelo grande número de copos descartáveis ​​jogados fora em todo o mundo.

O KeepCup se assemelha ao design tradicional do copo descartável usado em vários países, na aparência e aplicação, mas é completamente reciclável, personalizável e pode ser usado repetidas vezes. É capaz de manter seu conteúdo quente por pelo menos meia hora.

Quatro elementos compõem sua construção modular – o copo é fabricado a partir de polipropileno. O polietileno, silicone e poliuretano termoplástico são usados ​​para a tampa, a faixa térmica e fecho, respectivamente. Os quatro elementos são fornecidos em uma grande variedade de cores, permitindo que os consumidores escolham o arranjo que mais gosta.

Estima-se que pelo menos 500 milhões de copos descartáveis ​​são usados ​​e descartados a cada ano na Austrália. Um grande número de adultos em comunidades urbanas consomem um café em copo descartável. A National Coffee Association of America revelou que em 2007, 14% dos adultos nos Estados Unidos bebeu café gourmet por dia. Apesar de copos descartáveis terem uma porcentagem baixa, os impactos do kit de café delivery e descartável parecia um problema que não justificava a conveniência. Alguns tentaram usar o copo com plástico Pós-Consumo reciclado (PCR) ou vender produtos reutilizáveis, como ‘canecas’ projetado para manter o café quente por horas. O primeiro tem problemas com regulamentos de alimentos, este último é pesado e pouco prático para o consumidor de café “on-the-go”, e não foi projetado para atender às necessidades de baristas de qualidade.

O resultado é um design leve, fácil de usar, que usa uma quantidade limitada de energia na fase de fabricação. Esta facilidade de utilização é percebida no seu uso e na manutenção, uma vez que o KeepCup pode ser usado no microondas, lava-louças e é compatível com a maioria dos porta-copos de carro e bicicleta.

Vejam o video do KeepCup:

 

Avaliação do Ciclo de Vida do KeepCup

Para o desenvolvimento do produto, foi feito uma pesquisa no RMIT Centre for Design da Austrália. Copos de papel descartáveis ​​(combinado com um filme PE) têm pouco valor no mercado da reciclagem e geralmente acabam em aterros sanitários. Embora o KeepCup promove reciclagem, mesmo que permaneça por mais tempo no mesmo sistema o provável é que ele será descartado no aterro sanitário, mesmo que o consumidor separe os seus materiais. Com isto em mente, o estudo foi feito comparando o copo de KeepCup de 8 oz (ele está disponível em vários tamanhos) contra um copo de papel descartável usando a Análise do Ciclo de Vida (ACV) de forma simplificada. A unidade funcional foi tirar 1 café por dia entregue ao consumidor ao longo de um ano, até que ele fosse descartado no aterro sanitário ou até o final do período da pesquisa.

Os dados utilizados sobre a matéria-prima, fabricação, transporte e fim da vida útil foram do Inventário Australiano Ciclo de Vida (LCI) 2009 e a base de dados européia Ecoinvent 2.0. Rotas de transporte regionais foram considerados (transporte da Ásia para o copo descartável, tampa e do anel da KeepCup, caminhões do porto ao consumidor), bem como embalagens terciárias, e um ciclo de lavagem, por uso para o KeepCup, que vão desde uma rápida enxaguada com água morna, uma máquina de lavar louça totalmente carregada, com metade da máquina carregada, e lavagem na pia, os três últimos com detergente.

Foi também modelado o cultivo de café, produção e fabricação na Espanha a partir de um estudo para fora da Suíça (Humbert, Loerincik et al. 2009) para ver o que o KeepCup tinha em contexto para o “produto total”, ou uma dose de 100 ml de café, entregues ao consumidor (assumiram que os grãos de café não foram depositados em aterro).

Os resultados foram determinados usando o LCA Australian Impact Method.. O KeepCup em comparação com o copo de papel descartável (não incluindo o café), dependendo do tipo de lavagem (da pia vendo o menor através de enxágüe rápido vendo as maiores reduções de impacto ambiental), vê uma redução de 71-92% em potencial de aquecimento global, uma 71-95% de redução na utilização de água, e uma redução 95-96%  de resíduos em aterros ao longo do ano.

Embora o consumidor ainda possa comprar a embalagem para viagem em uma opção descartável ou reutilizável, é interessante ver as economias anteriormente declarados comparadas quando incluído os impactos relacionados ao café, que, em geral, dilui as economias do recipiente sobre a sua própria.

O KeepCup em comparação com copo de papel descartável (incluindo café) vê uma redução de 36-47% do aquecimento global, uma redução de 64-85% no uso da água, e uma redução de 91-92% em aterro de resíduos por ano.

A estética do KeepCup é clean, funcionalmente e cuidadosamente projetado, com o apelo global. Embora seja provável que KeepCup não seja reciclado no contexto australiano, a mudança de descartável para reutilizável acrescenta credibilidade ambiental, reduz significativamente o desperdício, aumento da economia, e permite uma mudança social, uma mudança bem-vinda para uma sociedade acostumada com a cultura do descartável.

Desde o seu lançamento, não menos do que 800.000 árvores foram preservadas, quando comparado com o de papel. Da mesma forma, 26.000 toneladas de resíduos compostos de copos descartáveis, foram evitados e cerca de dois bilhões de copos foram impedidos de ir para aterros sanitários.

 

Fonte:

http://www.keepcup.com/

http://www.core77.com/blog/

 

Comentários (2)

Guactruck

Tags: , , ,

Guactruck – embalagem para comida de rua com design e sustentabilidade

Postado em 11 outubro 2011 por Elisa Quartim

A Guactruck, empresa de alimentos na Manila, nas Filipinas, realizou um projeto de embalagem que permite mostrar a responsabilidade ambiental da empresa.

Inspirado nos tradicionais pontos de venda de comida vendida em caminhões nos EUA. Nesses locais a experiência é muito mais social do que gastronômica, onde acaba sendo um local para encontrar amigos e bater um papo enquanto espera a sua comida. Porém Michealle, Natassha e Micaela perceberam que além da qualidade da comida e do atendimento faltava uma atenção com o design,  estética e sustentabilidade, o que fez pensarem em um novo negócio.

Comer é uma atividade sensorial, pelo design e estética tem um papel na criação de uma experiência alimento completo, que em última análise reforça a sentido do cliente de bem-estar.

O design de suas embalagem concentra-se em criatividade e estética, bem como destaca o aspecto ambiental.

Usando apenas um pedaço de papelão, o design inspirado origami simples, sem cola ou plástico, se assemelha a um botão em uma flor desabrochando. O projeto reflete os ingredientes orgânicos usados pelos donos da Guactruck.

A embalagem encoraja a reciclagem ou reutilização. Para cada embalagem devolvida a pessoa recebe um carimbo, que, ao juntar 10 pontos, pode ser trocado por uma nova refeição. A Guactruck se responsabiliza pela reciclagem desses materiais.

 

Ciclo de vida

A Guactruck acredita que eles são responsáveis ​​por tudo o que sai do caminhão, desde os resíduos de alimentos até a embalagem.

Para garantir o cilco de vida de seus produtos eles se inspiraram nos cartões de fidelidade que incentiva os clientes a devolver as embalagens usadas para eles com o incentivo de obter uma refeição gratuita em troca de dez de embalagens retornadas.

A embalagem volta, então, ser enviado para os canais adequados para reciclagem. Desta forma, não só sensibilizam para a questão da embalagem sustentável e reciclagem, mas também cultivar um hábito de consumo consciente.

 

 Fonte: http://www.guactruck.com/

Comentários (0)

SentirBem-Ponta-a-Ponta2

Tags: , , , ,

Linha de aveias Sentir Bem repensa o seu ciclo de vida

Postado em 09 agosto 2011 por Elisa Quartim

O Walmart participa do Projeto Sustentabilidade de Ponta a Ponta a linha de aveias Sentir Bem. Composta por seis produtos e produzida pela Nat Cereais de Lagoa Vermelha (RS), teve seu ciclo de vida redesenhado, num processo que contemplou seis diferentes iniciativas que melhoraram a cadeia produtiva desde o plantio da aveia até o descarte da embalagem pelo consumidor final.
O primeiro passo foi repensar a origem da matéria prima e fortalecer a parceria com produtores: a forma de plantio da aveia passou a utilizar em 100% a tecnologia de manejo com plantio direto, que aumenta a produtividade por hectare e reduz os impactos de erosão do solo. Foram privilegiados produtores de aveia do entorno da fábrica – até 30 quilômetros de distância –, e foi firmado um contrato de garantia de compra entre esses e a Nat Cereais. O resultado se manifesta em duas dimensões: a social, porque prestigia a comunidade local, e a ambiental, pela maior produtividade por área cultivada, pela redução da erosão do solo e das emissões de gás carbônico, devido aos deslocamentos menores do campo até a fábrica.
A segunda parte do processo foi reaproveitar os resíduos industriais. Antes, as cascas da aveia eram em boa parte descartadas em uma área do próprio terreno da fábrica e se decompunham naturalmente, gerando gás metano. Com a intervenção, as cascas passaram a ter três destinações nobres do ponto de vista ambiental: como ingrediente de ração animal (um poder nutritivo antes desperdiçado), como cama de aviário e como combustível de caldeira em uma indústria próxima à fábrica.
Pesquisar na região da fábrica permitiu a implementação de mais uma iniciativa. Foi identificada uma oportunidade de aperfeiçoar o processo energético da fábrica, aproveitando como combustível de caldeira a biomassa de resíduos de MDF de uma indústria moveleira situada a cerca de 500 metros da fábrica, que antes era descartada, substituindo lenha proveniente de eucaliptos.

Repensados a matéria-prima e o processo produtivo, o grupo passou a examinar a embalagem. Foi possível reduzir o peso e a utilização do papel sem que a embalagem perdesse sua função protetora. Produzidas com menos papel (cartão certificado pelo FSC – Forest Stewardship Council), as caixinhas utilizam menos 10% de massa de celulose, deixando de emitir gás carbônico e gás metano no aterro da parcela não reciclada. Além disso, foi possível conseguir mais um benefício: aumentar de 80 para cem o número de caixas de produto transportado por palete, reduzindo as viagens realizadas da fábrica ao Walmart. E, já que o objetivo era otimizar todos os aspectos possíveis, foram colocadas na embalagem orientações úteis sobre sustentabilidade e descarte, para integrar o consumidor final ao processo e estimular o consumo consciente.
A comunidade local também foi contemplada no âmbito social: tanto o fornecedor (que é uma empresa familiar) quanto o Walmart revertem a quantia de R$ 0,02 para cada unidade vendida da linha de aveias para uma instituição localizada próximo à fábrica, que atende cerca de 150 crianças e adolescentes. Com isto, estima-se que ao longo do ano seja possível captar entre R$ 15 mil e 18 mil – sem alterar o preço final do produto e sem onerar o consumidor.
Participaram diretamente desse projeto 19 pessoas do Walmart e do fabricante. O desenvolvimento do Projeto Sustentabilidade de Ponta a Ponta das aveias Sentir Bem contaminou positivamente todos os que compartilharam o esforço de aplicar conhecimento científico e necessidade mercadológica com uma visão de generosidade coletiva.

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA

O projeto teve como foco a forma de produção (plantio direto) com menor erosão, menor consumo de recursos (combustíveis nos processos/transporte e materiais, como o cartão das embalagens e lenha para caldeira) e aproveitamento de resíduos (casca da aveia e resíduos de MDF) em toda a cadeia produtiva, além da campanha educacional com foco na sustentabilidade ambiental e ação de responsabilidade social na região de produção da aveia. Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto para a estimativa de venda anual na rede Walmart foram:

  • redução da emissão de CO2equivalente = – 1.105 ton
  • redução no consumo de óleo diesel/ou óleo combustível = – 4.885 L
  • redução da massa de embalagem = – 1.578 kg
  • redução de Resíduo Industrial = – 208.000 kg
  • ações de Responsabilidade Social = entre R$ 15.000,00 e 18.000,00/ano para a Instituição “Amor Perfeito – Associação Criança e Adolescente”

Comentários (0)

Brastemp-Ponta-a-Ponta

Tags: ,

Brastemp repensa o seu ciclo de vida

Postado em 09 agosto 2011 por Elisa Quartim

A Brastemp foi a marca escolhida pela Whirlpool Latin America para participar do projeto Sustentabilidade Ponta-a-Ponta por ter um consumidor consciente. O produto, o Refrigerador Inverse Viva, é o primeiro com o conceito “Viva”, reunindo vários diferenciais ligados à sustentabilidade em um só produto; e é “Inverse” porque o freezer fica na parte inferior do aparelho, e o refrigerador em cima, o que oferece mais conforto e ergonomia deixando tudo que o consumidor mais usa ao alcance das mãos.
O novo produto é fabricado em uma unidade fabril que possui, desde 2003, Gestão Ambiental Certificada ISO 14.001. Produzido no Brasil, esse é também o primeiro produto da Whirlpool no Brasil que comunica o atendimento aos requisitos da diretiva RoHS, uma certificação europeia sobre restrições da utilização de substâncias nocivas.
O Refrigerador Inverse Viva agregou melhora na reciclabilidade e um aumento expressivo na eficiência energética. O produto vem com um manual técnico diferenciado, feito com papel certificado pela FSC (Forest Stewardship Council) e que traz uma série de dicas de educação sustentável para o consumidor final.
Entre os benefícios do produto para o consumidor, está a redução de 25% no consumo de energia, atingida por meio de um compressor VCC (um dispositivo eletrônico com “inteligência” que controla o consumo energético em momentos que não se precisa do refrigerador). Dessa maneira, o consumo de energia do produto cai de 56 kW para 42 kW por mês. O compressor VCC foi desenvolvido pela Embraco, empresa do grupo Whirlpool.
No processo de repensar o ciclo de vida, a empresa foi também até o pós-consumo. O produto tem um índice de reciclabilidade de 80% de todos os materiais e utiliza gases que têm aproximadamente zero potencial de impacto na camada de ozônio e aquecimento global. O refrigerador Inverse Viva! vai reforçar a coleta e reciclagem de embalagem do produto nos centros onde a Brastemp já faz esse trabalho em parceria com o Walmart. Esse projeto é uma parceria da Whirlpool com o Walmart, que faz a reciclagem das embalagens não somente dos produtos Brastemp e Consul, mas de todos os fornecedores de linha branca. Ao entregar um produto eles já retiram a embalagem de transporte e levam para a reciclagem.
O desenvolvimento do projeto foi realizado por um time multifuncional envolvendo funcionários de aproximadamente 15 áreas – engenharia, tecnologia de refrigeração, de controles, de marketing, engenharia ambiental e sustentabilidade. Uma equipe que contou com o apoio e simpatia de toda a organização que acompanho

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA

O projeto teve como foco a eficiência energética (equipamentos mais eficientes como o compressor e LED econômico), seleção de insumos (gás de refrigeração e componentes com certificação RoHS) e campanha educacional com foco em sustentabilidade ambiental. Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto para a estimativa de venda anual na rede Walmart foram:

  • redução da emissão de CO2equivalente = – 560 ton (30% no uso)
  • aumento da eficiência energética no uso (redução no consumo de energia elétrica) de 24,5% (- 3,4 GWh) responsável por 30% da redução da emissão de CO2eq calculada
  • redução de Resíduo = – 150 kg
  • ações de Educação Ambiental = Comunicação Certificação RoHS e do Índice de Reciclabilidade

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

Comentários (0)

Pato-Ponta-a-Ponta

Tags: , ,

Pato Purific repensa o ciclo de vida de suas pastilhas sanitárias

Postado em 06 agosto 2011 por Elisa Quartim


A Pato Pastilha Adesiva acaba de ser lançado para atender um consumidor novo, aquele preocupado com uma limpeza eficaz e que deseja um perfume agradável no seu banheiro. Fabricada pela SC Johnson, ao participar do Projeto Sustentabilidade de Ponta a Ponta do Walmart, repensa o ciclo de vida do produto. O produto é uma extensão de linha e não substitui o produto atual, sendo a primeira pastilha unitária a ser lançada no Brasil. Com esse produto, a SC Johnson espera aumentar a participação de mercado, com um crescimento acima de 10%.

As pastilhas são vendidas em caixas de cartão com três unidades, e com embalagens unitárias e para viabilizar o novo produto – que agora ganhou embalagens coloridas para exposição individual no ponto de venda –, a empresa investiu na nacionalização do processo. Por um lado, incentivou dois fornecedores (um em São Paulo e outro em Manaus) a produzirem no Brasil o filme flowpack necessário para as embalagens unitárias, que antes era importado. Na outra ponta, a SC Johnson implantou uma linha de produção em Manaus, em substituição à importação do produto. Reduzindo importações, houve uma diminuição da complexidade logística, que diminuiu o consumo de combustíveis fósseis e emissão de CO2, gerando novos postos de trabalho.
O processo de repensar o produto e lançá-lo em embalagens individuais levou a um redimensionamento das embalagens secundárias e de transporte, diminuição do consumo de matérias-primas e otimização dos fretes com ganhos de 35% a 63% no aproveitamento do transporte. Houve uma redução de 63% da massa de embalagem secundária e 65% do consumo de tinta de impressão do cartucho, além da redução de 34% do papelão – que teve um aumento de 100% no uso de fibras recicladas pós-consumo. O processo repensado promoveu um menor impacto ambiental devido à redução total de 14,01 quilos de CO2 na produção de cada mil pastilhas, considerando-se energia, transporte e redução de resíduos de embalagem celulósica enviados para aterros sanitários.
Pelo fato de aderirem diretamente na superfície do vaso sanitário, as pastilhas sanitárias da SC Johnson já haviam eliminado a necessidade de suportes plásticos, reduzindo grandes volumes de resíduos sólidos. Agora, as pastilhas adesivas Pato 1 Unidade vão levar praticidade e higiene a novos consumidores, uma contribuição social com relevância em termos de saúde pública.

O projeto foi realizado totalmente com recursos gerados no Brasil e coordenado por um time multifuncional de seis pessoas das áreas de Processo Industrial, Desenvolvimento de Embalagens, Logística e Segurança, Saúde, e Meio Ambiente, e mobilizou a parceria de laboratórios de desenvolvimento de embalagem de fornecedores: um grande mutirão para levar higiene sanitária para consumidores que ainda não tinham acesso a esse recurso.

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA


Este projeto teve como base melhorias no processo produtivo, com destaque para implantação do processo produtivo em Manaus, bem como a redução da massa da embalagem e da emissão de CO2 equivalente devido à redução nas etapas de transporte, consumo de energia e resíduos de embalagem celulósica enviados para o aterro. Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto para a estimativa de venda anual na rede Walmart foram:

  • redução de 639 kg de material de embalagem
  • redução total de 3632 kg CO2 equivalente no transporte, energia e resíduos de embalagem celulósica enviados para o aterro
  • redução de 298 L de óleo combustível residual
  • redução de 73 L de diesel
  • redução de 381 kg de resíduos de embalagem enviados para o aterro
  • 63% de ganho no aproveitamento de frete (carga paletizada)

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

 

Comentários (4)

Snob-Ponta-a-Ponta

Tags: ,

Snob repensa seu ciclo de vida

Postado em 05 agosto 2011 por Elisa Quartim

A linha Snob chega às mãos das consumidoras focando três pontos chaves: qualidade, praticidade e sustentabilidade. Por ser um produto mais compacto (mais folhas por rolo), garante um menor descarte de subprodutos: menos filme plástico (embalagens primária e secundária) e menos papel cartão (tubete) nos aterros.
Snob Eco é um produto rastreado de ponta a ponta com certificação FSC (Forest Stewardship Council), o que garante que a matéria-prima (celulose) é extraída de fontes renováveis e proveniente de florestas responsáveis e manejadas. . A introdução do sistema de restreabilidade na empresa e a obtenção da certificação FSC cadeia de custódia para o Produto Snob Eco representaram uma grande evolução na empresa. Por ter mais folhas por rolo, a nova versão tem uma menor cubagem no transporte, emitindo menos CO2 na atmosfera, além de economizar combustível fóssil.
Para viabilizar o projeto foram feitos alguns ajustes em máquinas para que se convertesse 60 folhas em uma única embalagem, agregando 33% a mais de produto por rolo, sem afetar a qualidade do produto, e repassando a economia ao consumidor. A quantidade de filme plástico utilizado no novo pacote também diminuiu. Ao invés da consumidora comprar duas embalagens do Snob tradicional (cada uma com dois rolos de 120 folhas), ela compra uma embalagem com três rolos de Snob Eco e evita o descarte do tubete (o rolo de papelão localizado na parte interna do produto) a mais, além do descarte da embalagem que protege o produto.

O processo de repensar o ciclo de vida do Snob todo levou a uma economia de 21,19kg de tubetes e de 11,5kg de filme plástico por tonelada de produto produzido. Por otimizar o transporte foi reduzida em 105kg a emissão de CO2 equivalente, e obteve-se uma economia de 40,6 litros de combustível por tonelada de produto. Além disso, por reduzir a quantidade de tubetes descartados em aterros há ainda uma redução de 120 kg da emissão de CO2 equivalente.
O projeto teve o envolvimento direto de 11 pessoas, de vários departamentos da empresa (desenvolvimento de produto, fabricação e conversão de papel, meio ambiente, qualidade, supply-chain, departamentos fiscal, financeiro, TI, marketing, RH, comunicação interna, engenharia, manutenção e vendas) e de fornecedores. A mobilização pelo projeto causou um impacto muito positivo na empresa, atraindo o interesse de funcionários não diretamente envolvidos, agregando cada vez mais pessoas e o resultado vem gerando grande orgulho para a companhia.

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA


Foi desenvolvido um novo produto da Linha Especialista, com melhorias ambientais e sociais, que ao final recebeu o nome comercial de Toalha de Papel Snob Eco. Certificação FSC da toalha de papel, compactação do produto pelo fornecimento de mais folhas por rolo e otimização do transporte do produto foram as principais ações do Projeto, que mobilizou colaboradores de praticamente todos os departamentos da empresa.
Além da Certificação FSC, da origem da matéria-prima e da cadeia de custódia, os ganhos ambientais estimados para a projeção de venda anual da Toalha Snob Eco na rede Walmart Brasil são:
• redução no consumo de material celulósico (tubetes): 4,24 ton
• redução no consumo de adesivos: 1,06 ton
• redução no consumo de filme de polietileno (envoltório mais fardo): 2,30 ton
• redução de resíduo sólido pós-consumo para disposição final (já descontando a parcela que vai para reciclagem): 6,48ton
• redução no consumo de óleo diesel: 8.121 L
• redução da emissão de CO2 equivalente: 45,0 ton (46,6% pela otimização do uso da capacidade de carga e 53,4% pela redução de resíduo biodegradável (tubete) destinado a aterros e lixões

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

Comentários (0)

Veja-Perfumes-Ponta-a-Ponta

Tags: ,

Veja Perfumes Sensações repensa o seu ciclo de vida

Postado em 05 agosto 2011 por Elisa Quartim

Veja Perfumes Sensações estreia com melhorias no processo e é apresentando ao mercado a sua versão dois litros. Algumas mudanças foram feitas, com a garantia de que o consumidor terá o mesmo produto que tinha antes, porém mais sustentável.

Na rotulagem foi reservado um espaço “green”, intitulado Nossa Casa, Nosso Planeta, para comunicar as melhorias ambientais do produto, incluindo os itens técnicos importantes para a reciclagem de cada um dos itens da embalagem e dicas de consumo consciente para o consumidor, como a importância da responsabilidade ambiental e do papel das empresas e das pessoas.

No processo de repensar o ciclo de vida do produto o processo produtivo foi aprimorado, agregando diversas melhorias. Foi obtida uma redução de uma hora no tempo de fabricação do produto com o desenvolvimento de uma nova fórmula e redução de energia no sopro das embalagens, além de menos consumo de papelão nas bandejas que transportam o produto, e diversas melhorias na planta como por exemplo a substituição das lâmpadas pelas de LED e um novo compressor com menor gasto de energia.

A empresa desenvolveu a versão dois litros, que usa menos 47% de material por litro de produto quando comparado com a embalagem de 500ml. Além disso, foram feitas algumas melhorias no produto atual em relação ao critério de sustentabilidade, como a redução em 7% do material da tampa e em 6% da gramatura do rótulo. Um diferencial no projeto envolve também a produção do rótulo com tinta à base de soja, que gera menos resíduos para o meio ambiente.

Veja Perfumes Sensações é comercializado somente no Brasil. O projeto usou recursos internos da empresa e teve o envolvimento de 6 pessoas diretamente, entre as quais executivos das áreas de desenvolvimento de embalagens e marketing, engenheiros e pesquisadores. Houve ainda um trabalho de parceria com os principais fornecedores, que se envolveram bastante – um dos objetivos de um projeto que tem como objetivo mobilizar pessoas e organizações em direção à sustentabilidade.

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA


Esse projeto teve como base melhorias no processo produtivo, redução de massa de embalagem, com destaque para o desenvolvimento de uma nova embalagem de PET de 2 Litros e tecnologia para uso de embalagem 100% reciclada. Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto para a estimativa de venda anual na rede Walmart foram:

  • redução de 1805,3 kg de material de embalagem por ano
  • redução de 14.577 kWh no consumo de energia elétrica associada ao aumento de eficiência no processo produtivo
  • economia de 33,6 litros no consumo de óleo diesel/ou óleo combustível no transporte
  • redução total de 451 kg CO2eq por ano
  • tecnologia para utilização de embalagem de PET 100% reciclado pós consumo
  • emprego de rótulos impressos com tinta à base de soja
  • utilização de rótulos de papel e caixas de papelão com certificação FSC

 

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

Comentários (0)

Philips-LED-Ponta-a-Ponta-2

Tags:

TV LED da Philips repensa o seu ciclo de vida

Postado em 02 agosto 2011 por Elisa Quartim

A TV LED de 32 polegadas da Philips, produzida em Manaus, foi a escolhida para participar do projeto Sustentabilidade de Ponta a Ponta do Walmart. Ela substitui a TV LCD 32 polegadas e facilita o acesso de consumidores à tecnologia LED. Este produto oferece muitos benefícios ao consumidor, como a redução no consumo de energia, que representa um retorno de investimento de médio e longo prazos na aquisição da TV. Levando em consideração um ciclo de vida do produto estimado em dez anos, isso significa uma economia de cerca de dez meses do consumo médio de uma residência (150 kWh/mês).

É a primeira TV da Philips com a embalagem em papel kraft, retirando-se o componente químico do branqueamento e pintura daquelas até então utilizadas, o que gerou uma diferença de 10% no custo da matéria-prima, além de menos refugos no processo industrial. Além disso é pioneira no estabelecimento de um sistema nacional para coleta e disposição de aparelhos usados em postos de coleta para reciclagem, o Ciclo Sustentável (coleta de aparelhos usados e disposição adequada).

O processo permitiu a redução no consumo de energia e a redução de uso de combustíveis, com menor emissão de CO2 no transporte. Isto ocorreu porque com a lâmpada de LED a TV ficou mais fina e o novo pedestal em vidro temperado permitiu ganho de espaço útil de carga. Foi também eliminado o uso de isopor – material com baixo nível de reciclagem que foi substituído por polpa de papel reciclado.

O produto será comercializado somente no Brasil e a campanha educativa da TV LED 32’ tem o foco em sustentabilidade ambiental. Com isso, a Philips espera uma mudança de comportamento no perfil do consumidor do atual produto.

Participaram do projeto cerca de 35 funcionários de diversas áreas, uma equipe multifuncional (das áreas de Engenharia de Produto, Engenharia de Processo, Compras, Sustentabilidade, Desenvolvimento, Marketing, Qualidade, Logística, Corporativa e Produção) além de fornecedores, cuja participação foi pró-ativa na cadeia de soluções do pensar no ciclo de vida realizado pela Philips.
Os recursos utilizados foram predominantemente do Brasil, mas o projeto contou com a colaboração da matriz da Holanda, onde foi aprovado o uso do papel kraft na embalagem, e com o Centro de Desenvolvimento de TV em Cingapura. O projeto foi muito bem aceito na organização global da Philips e está sendo percebido como a superação de um desafio que pode ser replicado em outros países. Ou seja, mobilizando outras cadeias produtivas.
SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA


O projeto teve como foco a eficiência energética (equipamento mais eficiente com o LED substituindo as lâmpadas compactas fluorescentes – CCFL), redução no consumo de papel (devido à integração de parte do manual eletronicamente no aparelho televisor), dimensionamento do televisor/embalagem proporcionando melhor cubagem e transporte 100% marítimo (Belém – São Paulo). Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto para a estimativa de venda anual na rede Walmart foram:

  • Redução da emissão de CO2equivalente de 822 ton (98% no uso)
  • Aumento da eficiência energética no uso (redução no consumo de energia elétrica de 35,5% (- 15,8 GWh) responsável por 98% da redução da emissão de CO2eq calculada
  • Redução no consumo de óleo diesel/ou óleo combustível = – 8.700 L
  • Redução da massa de embalagem/produto = – 5.042 kg

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

Comentários (0)

Advertise Here

Assine

Insira seu endereço de email nos campos abaixo:
Newsletter Embalagem Sustentável

 
Receba atualizações do site via FeedBurner

Grupo EmbalagemSustentavel
Nossa lista de discussão no Yahoo!
* Embalagem Sustentável é contra spam

Veja também