Archive | Reciclagem

Guactruck

Tags: , , ,

Guactruck – embalagem para comida de rua com design e sustentabilidade

Postado em 11 outubro 2011 por Elisa Quartim

A Guactruck, empresa de alimentos na Manila, nas Filipinas, realizou um projeto de embalagem que permite mostrar a responsabilidade ambiental da empresa.

Inspirado nos tradicionais pontos de venda de comida vendida em caminhões nos EUA. Nesses locais a experiência é muito mais social do que gastronômica, onde acaba sendo um local para encontrar amigos e bater um papo enquanto espera a sua comida. Porém Michealle, Natassha e Micaela perceberam que além da qualidade da comida e do atendimento faltava uma atenção com o design,  estética e sustentabilidade, o que fez pensarem em um novo negócio.

Comer é uma atividade sensorial, pelo design e estética tem um papel na criação de uma experiência alimento completo, que em última análise reforça a sentido do cliente de bem-estar.

O design de suas embalagem concentra-se em criatividade e estética, bem como destaca o aspecto ambiental.

Usando apenas um pedaço de papelão, o design inspirado origami simples, sem cola ou plástico, se assemelha a um botão em uma flor desabrochando. O projeto reflete os ingredientes orgânicos usados pelos donos da Guactruck.

A embalagem encoraja a reciclagem ou reutilização. Para cada embalagem devolvida a pessoa recebe um carimbo, que, ao juntar 10 pontos, pode ser trocado por uma nova refeição. A Guactruck se responsabiliza pela reciclagem desses materiais.

 

Ciclo de vida

A Guactruck acredita que eles são responsáveis ​​por tudo o que sai do caminhão, desde os resíduos de alimentos até a embalagem.

Para garantir o cilco de vida de seus produtos eles se inspiraram nos cartões de fidelidade que incentiva os clientes a devolver as embalagens usadas para eles com o incentivo de obter uma refeição gratuita em troca de dez de embalagens retornadas.

A embalagem volta, então, ser enviado para os canais adequados para reciclagem. Desta forma, não só sensibilizam para a questão da embalagem sustentável e reciclagem, mas também cultivar um hábito de consumo consciente.

 

 Fonte: http://www.guactruck.com/

Comentários (0)

Interfitas EX-100

Tags:

Natal com laços prontos de papel Kraft

Postado em 13 setembro 2011 por Elisa Quartim

Já estamos no segundo semestre e muitas empresas já tem que decidir qual será o brinde de final de ano, mas já pensaram qual será a embalagem?

A Interfitas faz laços que se abrem em segundos e decoram presentes fabricados com materiais naturais e biodegradáveis!
Feito com papel Kraft com certificação de origem, tinta à base de água e cordão de algodão.

O laço ou a fita decorativa de plástico em geral vai para o lixo após o uso, e se não for seletivamente reciclado, permanece no lixão uma centena de anos. Com o Laço Pronto da Interfitas isso não ocorre. Os matérias degradam-se em alguns meses se não forem reciclados, reutilizados ou reaproveitado.

É um produto exclusivamente brasileiro de uma indústria 100% nacional, estabelecida em São Paulo desde 1991, e principal fornecedora para atacadistas e varejistas do mercado brasileiro.

A Interfitas é uma indústria 100%  brasileira estabelecida desde 1991 em São Paulo, regulamentada e cumpridora de obrigações tributárias, fiscais e com mão de obra local registrada. Como toda indústria brasileira cumpridora de obrigações eles estão lutando contra o produto chinês.

Também produzem sacolas de papel Kraft vendidas com o Laço Pronto para fechamento simples e rápido de presentes.

Veja mais em www.interfitas.com.br

Comentários (0)

Brastemp-Ponta-a-Ponta

Tags: ,

Brastemp repensa o seu ciclo de vida

Postado em 09 agosto 2011 por Elisa Quartim

A Brastemp foi a marca escolhida pela Whirlpool Latin America para participar do projeto Sustentabilidade Ponta-a-Ponta por ter um consumidor consciente. O produto, o Refrigerador Inverse Viva, é o primeiro com o conceito “Viva”, reunindo vários diferenciais ligados à sustentabilidade em um só produto; e é “Inverse” porque o freezer fica na parte inferior do aparelho, e o refrigerador em cima, o que oferece mais conforto e ergonomia deixando tudo que o consumidor mais usa ao alcance das mãos.
O novo produto é fabricado em uma unidade fabril que possui, desde 2003, Gestão Ambiental Certificada ISO 14.001. Produzido no Brasil, esse é também o primeiro produto da Whirlpool no Brasil que comunica o atendimento aos requisitos da diretiva RoHS, uma certificação europeia sobre restrições da utilização de substâncias nocivas.
O Refrigerador Inverse Viva agregou melhora na reciclabilidade e um aumento expressivo na eficiência energética. O produto vem com um manual técnico diferenciado, feito com papel certificado pela FSC (Forest Stewardship Council) e que traz uma série de dicas de educação sustentável para o consumidor final.
Entre os benefícios do produto para o consumidor, está a redução de 25% no consumo de energia, atingida por meio de um compressor VCC (um dispositivo eletrônico com “inteligência” que controla o consumo energético em momentos que não se precisa do refrigerador). Dessa maneira, o consumo de energia do produto cai de 56 kW para 42 kW por mês. O compressor VCC foi desenvolvido pela Embraco, empresa do grupo Whirlpool.
No processo de repensar o ciclo de vida, a empresa foi também até o pós-consumo. O produto tem um índice de reciclabilidade de 80% de todos os materiais e utiliza gases que têm aproximadamente zero potencial de impacto na camada de ozônio e aquecimento global. O refrigerador Inverse Viva! vai reforçar a coleta e reciclagem de embalagem do produto nos centros onde a Brastemp já faz esse trabalho em parceria com o Walmart. Esse projeto é uma parceria da Whirlpool com o Walmart, que faz a reciclagem das embalagens não somente dos produtos Brastemp e Consul, mas de todos os fornecedores de linha branca. Ao entregar um produto eles já retiram a embalagem de transporte e levam para a reciclagem.
O desenvolvimento do projeto foi realizado por um time multifuncional envolvendo funcionários de aproximadamente 15 áreas – engenharia, tecnologia de refrigeração, de controles, de marketing, engenharia ambiental e sustentabilidade. Uma equipe que contou com o apoio e simpatia de toda a organização que acompanho

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA

O projeto teve como foco a eficiência energética (equipamentos mais eficientes como o compressor e LED econômico), seleção de insumos (gás de refrigeração e componentes com certificação RoHS) e campanha educacional com foco em sustentabilidade ambiental. Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto para a estimativa de venda anual na rede Walmart foram:

  • redução da emissão de CO2equivalente = – 560 ton (30% no uso)
  • aumento da eficiência energética no uso (redução no consumo de energia elétrica) de 24,5% (- 3,4 GWh) responsável por 30% da redução da emissão de CO2eq calculada
  • redução de Resíduo = – 150 kg
  • ações de Educação Ambiental = Comunicação Certificação RoHS e do Índice de Reciclabilidade

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

Comentários (0)

Neve-Ponta-a-Ponta-2

Tags: ,

Neve Naturali repensa o seu ciclo de vida

Postado em 28 julho 2011 por Elisa Quartim

Neve Naturali, foi o produto escolhido pela Kimberly-Clark para participar do Projeto Sustentabilidade de Ponta a Ponta. Líder de mercado no segmento de papel higiênico, o Neve Naturali, que desde 2009 já é feito com 100% de fibras recicladas. Ao “repensar seu ciclo de vida”, foram feitas três melhorias no processo: diminuição nas distâncias totais percorridas pelas aparas coletadas até a fábrica do Neve Naturali, com substancial redução de tempo, custos e emissões de CO2 no transporte; o reaproveitamento energético do lodo de produção, que até então era aterrado; e a reutilização de refugos plásticos da fábrica na confecção de novos filmes envoltórios.
Os fornecedores de aparas brancas, originadas na sua maior parte de papéis de escritório, de bancos e gráficas, concentram-se, na sua maior parte, no Estado de São Paulo. Encontrar um fornecedor de aparas brancas mais próximo da fábrica na cidade de Correia Pinto (SC) foi de fundamental importância e, depois de muitas pesquisas, a Kimberly identificou um fornecedor que, auditado, preencheu seus requisitos de qualidade, volume de entrega e idoneidade.
As aparas brancas contêm grande quantidade de materiais não fibrosos, que no processo de fabricação do Neve Naturali, são segregados como lodo. Este lodo, que antes era aterrado, passou a ser utilizado como insumo energético em uma caldeira de biomassa adquirida para isso, que substituiu uma caldeira alimentada por óleo combustível. O uso do lodo na caldeira – testado com o apoio da Universidade Federal do Paraná – foi gradualmente aumentado e já atingiu 20% do volume; a previsão é que este número deve chegar à 100% até o final de 2011. Além de gerar energia, o lodo não vai mais para o aterro, o que evita as emissões de gases de efeito estufa nestes locais.
Houve também o aproveitamento do plástico, tanto do refugo industrial como dos resíduos das embalagens que chegam com as matérias-primas e insumos na empresa. Este material foi reunido e passou a ser entregue para um fornecedor, que recupera a resina e a devolve como 10% de plástico novo para os fardos de embalagens de transporte.
Com estas melhorias no processo, a Kimberly conseguiu manter o Neve Naturali como o primeiro produto da empresa que utiliza 100% de fibras recicladas em sua composição. O processo é pioneiro na empresa e venceu o desafio de inovar o produto e o processo, em termos ambientais.
O projeto envolveu investimentos em equipamentos e tecnologia e mobilizou cerca de 15 pessoas, no escritório e nas unidades produtivas.

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA


O projeto consistiu na melhoria do desempenho ambiental do papel higiênico Neve Naturali através de ações em sua cadeia produtiva, das quais se destacam a operacionalização de uma nova caldeira para queima de lodo gerado no processo, a redução das distâncias totais percorridas durante o transporte de aparas e a introdução de material reciclado no filme envoltório secundário do papel higiênico. Tomando como base o volume de vendas para o Walmart no ano de 2011 foi possível contabilizar as seguintes melhorias:

  • redução de 58,2 ton de CO2 equivalentes devido principalmente à queima do lodo
  • economia de 36,8 GJ de energia fóssil ou 1018 litros de diesel
  • redução de 30,2 ton de resíduo sólido destinado a aterro sanitário
  • redução de 455.063 litros no consumo de água
  • economia de 520 GJ de energia renovável com a recuperação de energia da queima do lodo

 

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

Comentários (0)

Guarana-Ponta-a-Ponta

Tags: ,

Guaraná, com PET reciclado, repensa o seu ciclo de vida

Postado em 26 julho 2011 por Elisa Quartim

A Ambev participou do Projeto Sustentabilidade de Ponta a Ponta com o Guaraná Antarctica dois litros, com o objetivo de substituir nas gôndolas o produto atual com a primeira embalagem no Brasil com resina de PET reciclado. A relevância é enorme no portfólio da empresa, já que o produto escolhido é sua principal marca de refrigerante, e a embalagem de dois litros é a principal embalagem do mercado.

O desafio foi agregar a tecnologia de incorporar resina de PET reciclado à resina virgem atendendo a normatização dos órgãos públicos (Vigilância Sanitária) referente ao uso de material reciclado em embalagens de alimentos. Neste contexto, as garrafas já serão produzidas com uma parcela de resina reciclada e o objetivo é aumentar, paulatinamente, a substituição da quantidade de resina virgem utilizada no processo de fabricação. O trabalho foi todo concentrado na fábrica do Rio de Janeiro. No rótulo da embalagem haverá informações que identificam o percentual de resina de origem de PET reciclado.

Para viabilizar o Guaraná Antarctica dois litros em embalagem com PET reciclado, a empresa vem investindo na qualificação e harmonização de uma cadeia de cooperativas de reciclagem que serão os grandes fornecedores deste insumo.

No projeto houve ainda o aumento de eficiência técnica na produção do guaraná. Na fazenda da Ambev localizada em Maués (AM), é feita toda extração do fruto. Lá foi criado um programa de excelência, já que a fazenda é um grande viveiro de mudas que são distribuídas para a comunidade local, que depois fornece os frutos. A Ambev compra 100% do guaraná produzido na região. Isso aumenta a produtividade, oferece garantias para o produtor. Além disso, a Ambev implementou um novo modelo de transporte do guaraná, que garantiu uma redução significativa na emissão de CO2.

Por ser uma marca tradicionalmente brasileira, o produto será comercializado somente no Brasil e a expectativa de resultados com o Guaraná Antarctica em nova embalagem é de um crescimento pouco maior que a média do mercado. Os recursos utilizados no projeto foram todos da unidade brasileira. Cinco funcionários das áreas de Desenvolvimento Técnico, Suprimentos, Jurídico, Relações Corporativas e Marketing participaram da gestão corporativa do projeto. Além de outros funcionários, houve o envolvimento pró-ativo de fornecedores industriais e institutos de pesquisa, mobilizando um grande número de pessoas motivadas pelo processo de repensar o ciclo de vida de uma marca campeã de vendas.

SUSTENTABILIDADE NA MEDIDA


Esse projeto teve como base a aplicação de uma tecnologia para utilização do PET 100% reciclado pós consumo com aprovação para contato com alimentos e bebidas, a implementação de melhorias no processo produtivo e no transporte e redução da massa de embalagem. Além disso, foram ampliadas as ações de fomento e assistência tecnológica para o cultivo do guaraná e para ampliação da cadeia de reciclagem da embalagem. Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto para a estimativa de venda anual na rede Walmart foram:

  • redução de 60,7 mil kg de material de embalagem por ano
  • redução de 940 mil litros de água por ano
  • economia de 208 mil litros no consumo de óleo diesel/ou óleo combustível no transporte
  • redução da emissão de 557 mil kg CO2 equivalente por ano
  • tecnologia para utilização de embalagens de PET 100% reciclado pós consumo aprovada para contato com alimentos e bebidas
  • fomento e estruturação do cultivo do guaraná na região amazônica com assistência técnica aos agricultores para o plantio e obtenção de maior produtividade pelo mesmo espaço ocupado, garantia de ausência de trabalho infantil, garantia de preço e de compra da safra produzida
  • iniciativas para fomentar a estruturação e coleta do PET reciclado pós consumo de forma a manter a rastreabilidade da cadeia, análise de oportunidades e de melhoria e conscientização do consumidor

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

Comentários (3)

Walmart-Ponta-a-Ponta-2

Tags:

2ª edição do programa Sustentabilidade de Ponta a Ponta do Walmart

Postado em 25 julho 2011 por Elisa Quartim

No início de 2010, o Walmart lançava um projeto para contribuir com o desenvolvimento sustentável do mercado brasileiro. Em parceria com grandes empresas fornecedoras, a rede colocou produtos nas gôndolas que tiveram seu processo de fabricação repensado para serem mais amigáveis ao meio ambiente e obtiveram um crescimento de até 40% em suas vendas. Vejam o post da época.

Agora, o varejista inicia a segunda etapa da ação, com o apoio de 13 companhias, incluindo Ambev, Danone, Kimberly-Clark, Kraft Foods, L’oreal, Mars, Philips, Reckitt Benckiser, Santher, Sara Lee, SC Johnson, Whirlpool e Nat Cereais, responsável pela marca própria Sentir Bem, do Walmart.

A ideia é modificar toda a cadeia de produção e levar a sustentabilidade aos três pilares do conhecido como triple bottom line: people, planet e profit, o que significa colaborar para o desenvolvimento social e do meio ambiente, sem deixar de lado a questão econômica.

Pensando nisso, os produtos precisam maximizar os lucros das empresas, sem mexer com o bolso do consumidor, e garantir práticas que ajudem a preservar o planeta. A ideia do projeto “Sustentabilidade de Ponta a Ponta” é fazer com que as indústrias escolham os principais itens da categoria e trabalhem para melhorar os processos envolvidos.

A partir da definição, o produto passa por uma análise técnica de todo o processo de produção, com a ajuda do CETEA, para gerar as mudanças possíveis, do início ao fim da cadeia.

Este ano, o projeto já aponta resultados positivos. As transformações realizadas nos 13 produtos representam uma decréscimo do uso de água de dois milhões de litros ao ano e 19 milhões de Kwh de energia.

Com relação às emissões de gases do efeito estufa, houve queda de 3.171 tons de CO2, correspondendo à economia de 17,3 milhões de km rodados. As reduções das embalagens também possibilitaram mais espaço nos caminhões, aumentando entre 32% e 64% na capacidade das carretas.

Observando os cases com atenção, podemos perceber que em grande parte as mudanças ocorreram na redução de materiais e repensando seus processos de produção. Parece que o redesign das embalagens não foi uma prioridade, o que poderia ajudar muito o resultado desses projetos. Em nenhum dos cases foi mostrado a equipe de design. Por que será?

Os próximos posts mostrarão os 10 produtos dessa segunda edição e os ganhos obtidos dessa parceria. É um bom exemplo de como o varejo pode e deve se envolver e apoiar iniciativas de sustentabilidade de seus fornecedores. Eles fazem parte do ciclo devida do produto e são os primeiros que percebem as necessidades do consumidor cada vez mais exigente.

Fonte:

http://www.walmartsustentabilidade.com.br/sustentabilidade-pontaaponta-2011/

http://exame.abril.com.br/

Comentários (0)

glass is good

Tags: , ,

Troca de vidro por vale compras acontece no Carrefour

Postado em 27 junho 2011 por Elisa Quartim

A Diageo, importadora e líder mundial em negócios com bebidas alcoólicas, iniciou uma promoção em parceria com os supermercados Carrefour, a cada 3 garrafas de vidro ou 1 garrafa de Smirnoff você ganha R$ 0,50 em compras no supermercado.

Essa promoção faz parte do projeto de coleta seletiva da DIAGEO “Glass is Good”, patrocinado pela marca Smirnoff.
Trata-se de um projeto de logística reversa de vidro e responsabilidade socioambiental.

 

Na troca das garrafas vazias, a promotora entrega um cartão de vale-presente do Carrefour que pode ser usada em qualquer loja da rede Carrefour.

As garrafas são colocadas em coletores produzidos pela Metragreen, que é feito com aparas de tubo de creme dental, sendo sua composição 75% plástico e 25% alumínio. Super durável, podendo ficar em áreas abertas podendo sofrer a ação das chuvas e do tempo.

O projeto é por tempo limitado, ou até esgotarem os Vales-Presentes, pois ainda estão testando a resposta da população.
A troca apenas poderá ser feita com a presença da promotora.
O horário para a troca é de segunda a sexta, das 14h às 20h e finais de semana das 10h às 21h.
O regulamento pode ser conferido nos postos de troca.

Apenas algumas lojas do Carrefour estão participando. Vejam quais são:

Osasco: Av. dos Autonomistas, 1542 – Vila Yara
Santo Amaro: Av. Santo Amaro, 3907
Pinheiros: Av. das Nações Unidas, 15187 – V. Gomes
Morumbi (Jardim Sul): Av. Giovanni Gronchi, 5930 – Jd. Leonor
Limão: Av. Otaviano Alvez de Lima, 1824

 

Testando a promoção

Fui testar a promoção no Carrefour da Av. Santo Amaro. Logo de cara já senti um problema, a obrigatoriedade da presença da promotora. Vou quase todo dia nesse supermercado e só a vi uma vez, quando consegui fazer a troca. Na falta da promotora, outro funcionário do Carrefour deveria se responsabilizar pela compra. Voltei algumas vezes com as garrafas vazias para casa.

Após trocar o vale-presente nas compras (que funcionou muito bem), a caixa me devolveu o cartão.
Eu imaginava que ele seria recolhido para depois ser reaproveitado, mas agora tenho em mãos um cartão não reciclável.

O cartão é feito para ser durável e por isso é composto por vários plásticos e materiais. Por que no processo de logística reversa só está incluso o vidro e não todos os materiais envolvidos na campanha?

Pelo número reduzido de lojas, imagino que esse seja um projeto piloto, e espero que minhas observações ajudem a melhorá-lo para quando ele for realmente for efetivado

 

Atualização do post

Hoje fui trocar as minhas embalagens de vidro e a promoção já fez a mudança que eu tinha sugerido.

Agora, após trocar o vale-presente no caixa do supermercado, ele é recolhido pelas promotoras e levado para a central para se recarregado.

Tinha falado também sobre o problema da obrigatoriedade da presença da promotora.

Elas podem ir embora quando acaba a cota de vale-presente qie elas tem por dia ou quando a caixa aonde estão guardando as embalagens fica cheia.

As promotoras me contaram que a promoção está sendo um sucesso, tem dias que tem gente que chega com um carrinho cheio de embalagens de vidro. Por isso é bom chegar cedo.

A cooperativa que está recebendo as garrafas é a Associação Vira Lata  http://www.viralata.org.br/

A data final foi prorrogada para até o dia 29 de julho, mas devido sucesso eles pretendem estender para outros supermercados. Aguardem!

 

Fonte:

http://www.diageo.com/

http://metagreen.com.br/

http://artcontrast.com.br/

Comentários (4)

tetra Pak moveis

Tags: , ,

Tetra Pak e o pós-consumo

Postado em 21 junho 2011 por Elisa Quartim

A Tetra Pak é uma embalagem cartonada, mais conhecida caixinha Longa Vida, usada para a proteção e transporte de produtos líquidos ou pastosos, que necessitam de uma boa barreira contra os efeitos do ambiente externo à embalagem. Quando surgiu no mercado foi uma inovação para vários produtos que dependiam a refrigeração para conservar os seus produtos nos supermercados.

Para ter uma barreira eficiente, sem ncessitar de refrigeração. a embalagem cartonada da Tetra Pak é feita de três materiais básicos que juntos resultam em uma embalagem muito eficiente, segura e leve.

Cada material tem uma função especfica:

  1. Papel: garante estrutura embalagem;
  2. Polietileno: protege contra umidade externa, oferece aderência entre as camadas e impedem o contato do alimento com o alumínio;
  3. Alumínio: evita a entrada de ar e luz, perda de aroma e contaminações.

Através da combinação destes três materiais, a Tetra Pak produz um material de embalagem com excelentes propriedades e  performance que proporcionam às embalagens:

Porém após o seu consumo, a separação e a reciclagem desses 3 materiais, virou um desafio para todos os envolvidos no consumo desse material. A separação dos materiais necessita de equipamentos especiais e integração de toda a cadeia.

A reciclagem das embalagens cartonadas pós-consumo fazem parte das metas ambientais estabelecidas pela Tetra Pak em seu sistema de Gestão Ambiental. Eles ajudaram a desenvolver uma tecnologia adequada de reciclagem e incentivam a coleta seletiva.

 

Leia mais

Comentários (2)

c-PACK PCR

Tags: ,

Bisnaga PCR (Post Consumer Recicled) da C-Pack

Postado em 18 junho 2011 por Elisa Quartim

A C-Pack, líder no mercado Latino Americano de embalagens no formato de bisnaga (tubo) traz ao mercado uma bisnaga  produzida com material reciclado de pós consumo, o PCR (Post Consumer Recicled).

A empresa levou quase dois anos para desenvolver a novidade, em um projeto iniciado a partir de uma ideia da Johnson & Johnson. O novo tubo será adotado até o fim do ano pela J&J por outros dois clientes do mercado de higiene pessoal e beleza.

O material reciclado, derivado da coleta seletiva de polietileno e polipropileno, é empregado como uma espécie de recheio de sanduíche numa estrutura de três camadas – a interna e a externa são de material virgem, para evitar, respectivamente, riscos de contaminação do produto acondicionado ou de má impressão dos tubos.

Evitar a extração e os gastos na produção de matéria-prima virgem com a re-utilização de materiais, faz da reciclagem uma ferramenta amenizadora dos impactos ambientais.

Fora essa  novidade (ver quadro), a C-Pack tem um plano de lançamento contínuo de inovações em tubos plásticos. O projeto é respaldado pelo Core-D, um departamento de pesquisa e desenvolvimento criado há pouco mais de seis meses. Alocado em um laboratório construído na fábrica da empresa, em São José (SC), o setor é tocado por um grupo de nove engenheiros, cooptados em um convênio com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Um dos projetos em fase final de gestação pelo Core-D, antecipa Yassuda, é o tubo plástico confeccionado a partir de ácido polilático (PLA), resina “verde” derivada de fontes agrícolas. Junto com o tubo PCR, o tubo de PLA integra o conceito Eco Packaging, criado pela C-Pack para identificar as embalagens fabricadas levando em conta princípios de sustentabilidade.
As embalagens plásticas – tubos, tampas e componentes – produzidas pela C-Pack atendem ao conceito “Eco-Packaging”, pois são produzidas com 50% a menos de energia e menor quantidade de matéria-prima. São mais de 700 possíveis variações de formatos, além das diversas combinações decorativas.
A certificação SA8000 de responsabilidade social, obtida pela C-Pack em 2005, é fruto do investimento que a empresa faz em sustentabilidade. Toda a estrutura da fábrica, onde trabalham cerca de 400 colaboradores, apresenta soluções inteligentes como cobertura e paredes TermoWall, iluminação natural, aquecedor solar, captação da água da chuva, tratamento de esgoto e sistema de pressão positiva, que não permite a entrada de agentes contaminantes no ambiente fabril pelas portas.
Todo o investimento em sustentabilidade; Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) e design renderam a C-Pack alguns troféus como o Roberto Hiraishi (Embanews) nos anos 2011, 2008, 2007 e 2006; Embalagem Marca 2007 e Embanews 2007 e 2006.
Fonte: http://www.c-pack.com.br

http://www.embalagemmarca.com.br/

Comentários (0)

paper-no-9-bag-5

Tags: , ,

Paper No. 9, acessórios feitos com papelão

Postado em 31 maio 2011 por Elisa Quartim

A Paper No.9 projeta acessórios feitos com papelão de caixa de transporte. O resultando são acessórios com um material alternativo. À primeira vista, os produtos lembram couro, mas uma inspeção cuidadosa revela a sua verdadeira origem: o papel.

Primeiro eles tratam o papel obtido em caixas de transporte com óleos naturais, calor e uma boa massagem. Depois colocam sobre um tecido para ganhar resistência. Com isso eles criaram um “tecido” aveludado que cria um efeito estiloso.

Como o tempo o produto vai ganhando personalidade com o desgaste do material. O calor e o movimento do corpo gradualmente desgastam as camadas exteriores para revelar a arte escondida.

Fonte: http://www.paper-no9.com/

Comentários (1)

Advertise Here

Assine

Insira seu endereço de email nos campos abaixo:
Newsletter Embalagem Sustentável

 
Receba atualizações do site via FeedBurner

Grupo EmbalagemSustentavel
Nossa lista de discussão no Yahoo!
* Embalagem Sustentável é contra spam

Veja também