Óleo Liza – Projeto End-to-End

Postado em 21 janeiro 2010 por Elisa Quartim

Este projeto teve como base melhorias nos processos produtivos com destaque para a redução de peso na embalagem primária de PET e os benefícios oriundos da implantação de uma nova planta industrial mais eficiente. Os ganhos ambientais alcançados pelo projeto foram:

Embalagem:

  • 18% de redução no consumo de energia elétrica na produção das garrafas plásticas;
  • Uso de matéria-prima certificada pelo FSC -Conselho Brasileiro de Manejo Florestal e Cerflor – Programa Brasileiro de Certificação Florestal, na produção das caixas de papelão dos produtos finais;
  • Redução de 10% na quantidade de matéria-prima plástica necessária para a produção das embalagens do produto;

Outras alterações:

  • Redução de 26% no consumo de água;
  • 35% de redução na quilometragem rodada por caminhões para o transporte de produtos até os centros de distribuição do Walmart Brasil por meio da otimização de viagens;
  • Redução de 56% no consumo de combustíveis fósseis por meio da troca de parte da matriz energética de petróleo para biomassa de origem controlada;
  • Redução total de 40% nas emissões de gases de efeito estufa.

Vejam o video de apresentação:

Fonte:
http://www.walmartbrasil.com.br/

Design Gráfico Güepa:

http://www.guepa.com.br/

12 Comente este post

  1. Julio Cesar Leone Says:

    E se estas embalagens fossem produzidas em lata novamente? Quanto seria as reduções? Temos como saber?

  2. embalagemsustentavel Says:

    Para ter certeza seria necessário fazer uma análise do ciclo de vida. Mas sem fazer essa pesquisa, eu imagino que o PET é mais leve e mais fácil de ser reciclado. Além da embalagem ser mais prática gerando menos desperdício no seu consumo.

  3. Julio Cesar Leone Says:

    Olá,

    Eu imagino que não, pois o tempo de ciclo de vida da lata é 3 a 5 anos, e o do plástico? Em relação a facilidade de reciclagem, também não existe complexidade, pois o processo é bastante simples e pode ser reutilizado por diversas vezes a mesma matéria prima.
    Ja falando da praticidade, hoje vejo diversas embalagens metálicas “latas” com bicos dosadores, sendo o mesmo tipo de utilização do PET, sem desperdício, além das latas expandidas litografadas que melhora muito a visibilidade do produto.
    Eu gostaria de saber da possibilidade deste estudo, o que deve ser feito para desenvolvê-lo.
    Eu ainda credito muito que a lata pode ser melhor ao meio ambiente do que o plástico, assim como ocorre em alguns países da Europa.

    Muito obrigado.

  4. embalagemsustentavel Says:

    Se alguém souber de algum estudo assim deixa um comentário aqui. Também fiquei curiosa.

  5. Julio Cesar Leone Says:

    Olá, algumas informações sobre as latas:

    A embalagem de aço é, tecnicamente, uma das melhores formas de se acondicionar produtos, por evitar desperdícios e proteger adequadamente a integridade de seu conteúdo no transporte e comercialização. Além de resistente, a embalagem de aço é versátil, possui um excelente facing de prateleira, pode se transformar em brinde para o consumidor, é totalmente reciclável e conserva mais propriedades nutritivas nos alimentos do que os processados artesanalmente.

    Quando se pensa no transporte de longa distância ou em condições críticas, por exemplo, a embalagem de aço é a primeira a ser cogitada por sua resistência mecânica. A espessura constantemente reduzida diminuiu o seu peso específico e aumentou a competitividade em relação aos outros materiais. Os processos de fechamento e soldagem evoluíram e hoje podem ser fabricadas até 1,2 mil embalagens de aço por minuto. No envase de produtos como, por exemplo, o óleo comestível, a velocidade chega a 800 embalagens de aço por minuto – um ritmo impossível de ser alcançado pelas garrafas de pet.

    O aspecto da saúde também deve ser considerado, já que os alimentos em embalagem de aço conservam mais propriedades nutritivas do que os processados artesanalmente, como indica uma pesquisa recente da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos. O aço é barreira contra a luz, que destrói ou compromete a integridade de diversos nutrientes.

    A versatilidade é outra qualidade da embalagem de aço, que pode conter, desde produtos delicados como balas e biscoitos finos até produtos de uso industrial, como os óleos lubrificantes e tintas navais.

  6. Julio Cesar Leone Says:

    continuação…..
    A litografia fornece um excelente facing de prateleira e tem a propriedade de transformar latas de aço em brindes colecionáveis para o consumidor.

    As latas de aço são as mais modernas e seguras para embalar produtos. Convenientes, duráveis, livre de conservantes químicos proporcionam uma alimentação saudável e rápida a qualquer hora e em qualquer lugar.

    Completamente recicláveis e contendo uma série de diferentes produtos, incluindo alimentos com baixos teores de sal e açúcar, diet e light, as latas de aço são ideais para uma alimentação balanceada adaptadas ao estilo prático e moderno. As latas de aço são perfeitas para armazenar desde salgadinhos até pratos prontos para o consumo, tanto para o público “single” quanto para a família.

    LEMBRE-SE

    Os enlatados são hermeticamente fechados e autoclavados, ou seja, cozidos na própria lata o que proporciona aos alimentos maior “shelf life” e saudabilidade;

    Alimentos enlatados são nutritivos, preservam as vitaminas e o sabor;

    Alimentos enlatados contribuem para uma alimentação saudável e balanceada;

    Alimentos enlatados são práticos, convenientes e versáteis;

    As latas de aço são feitas de metal 100% reciclável, portanto são a melhor escolha, pois além de serem embalagens seguras a saúde, as latas de aço são embalagens ecologicamente corretas;

  7. embalagemsustentavel Says:

    Julio, muito obrigada por suas informações!
    Agora fico pensando, quais foram os aspectos técnicos que levaram eles a escolher o PET ao invés da lata?
    As vantagens do PET foram divulgadas, mas será que fizeram um comparativo? Espero que sim, mas gostaria de ver esse resultado.

  8. ERMIRO Says:

    BOM ACHO QUE FIZERAM DE PET POR SER MAIS BARATO EMPRES QUALQUER VISA PRIMEIRAMENTE O LUCRO A PET SAI MUINTO MAIS MUINTO MAIS BARATO DEO QUE A DE METAL FIZERAM ATÉ UMA CAPANHA NA TV DIZENDO QUE EMBALAGEM DE LATA É MAIS CONSERVADORA DO QUE AS DE PET TAMBEM CONCORDO DEVIA SER DE LATA.
    MAIS TUDO ISSO É LICRO ACIMA DE TUDO
    NÃO VEJO LATAS DE ÓLEO DE NENHUMA EMPRESA MAIS NO MERCADO ATÉ GARRAFS DE VIDRO DEVIA DE VOLTAR DE REFRIGERANTES.OS PRODUTOS TINHA MAIS QUALIDADE E NOME AGORA PARECE TUDO DISCARTÁVEL.

  9. ana maria vasconcelos Says:

    Elisa, olá,

    Parabéns por este trabalho. E o comentários do Hélio excelentes, parabéns a vocês.

  10. Gilberto Says:

    Parabéns pela matéria e debate.
    Eu e a maioria dos consumidores somos obrigados a utilizar PET. A Lata de aço era muito melhor de se amarzenar em casa, inclusi após a implementação do PET evito estoque em minha residência em vista da preocupação com sua fragilidade. Antigamente armazenavamos uma quantidade maior e muitas das vezes caixas de lata, hoje somente compro o consumo.
    Espero que um dia a Latinha nossa de todos os dias volte, melhor de se manusear.
    SBC/SP.

  11. V&S Salgados Says:

    Boa Tarde,

    Que saudade da latinha.
    Na Semana passada presenciei um fato e gostaria de deixar registrado.
    Uma senhora após sair do Supermercado DIA escorregou e sua sacolinha de compra acabou se quebrando e na mesma continhas algumas unidade de óleo em PET. A coitadinha ficou muito chateada e ao mesmo tempo perdeu o seu produto. As garrafas de óleo se quebraram, o conteudo vasou tudo e somente sobrou uma calçada completamente escorregadia pelo óleo. Juntamente em sua saco também continha duas LATAS DE LEITE CONDENSADO onde apenas apresentaram apenas alguns arranhões.
    Por esse motivo: QUE SAUDADE DA LATINHA.

    E pior ainda, nas Marginais do Rio Tiete e Pinheiros, o que mais presenciamos nas margens são PET + PET + PET…………..

    VOLTE LATINHA…. VOLTE POR FAVOR……!!!

  12. Luiz Fabiano Mertig Says:

    Um estudo conduzido pelo Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea) constatou que a degradação das latas de aço em diversos tipos de campo (solo, leito de rio, ambiente industrial e ambiente marítimo) é rápida, quando comparado às garrafas PET. Segundo o estudo, latas que venham a ser dispensadas no meio ambiente enferrujam em poucos anos e são absorvidas pelo solo como óxido de ferro. De acordo com o professor Sabetai Calderoni, da USP, a lata de aço leva em média cinco anos para se degradar totalmente, enquanto a garrafa do tipo PET dura mais de 100 anos.

    Na ótica da sustentabilidade, a lata de aço protege os alimentos contra oxidação sem necessitar de adição de conservantes. O material é 100% degradável, reutilizável, trabalha a redução nos níveis de CO2 no processo de fabricação e oferece maximização do índice de reciclagem por se transformar integralmente em nova folha de aço.

    No entanto, as garrafas feitas de aço estão sendo substituídas por PETs. Em 1997, foram produzidas 1,9 bilhão de embalagens de 900 ml para óleo comestível. Desse total, 88% eram latas de aço (cerca de 1,67 bilhão de unidades) e o restante, garrafas plásticas (230 milhões de unidades). Dez anos depois, do total de 2,36 bilhões de embalagens com 900 ml, cerca de 2 bilhões (85%) são garrafas PET e apenas 360 milhões (15%) latas de aço.

Deixe uma resposta

Advertise Here

Assine

Insira seu endereço de email nos campos abaixo:
Newsletter Embalagem Sustentável

 
Receba atualizações do site via FeedBurner

Grupo EmbalagemSustentavel
Nossa lista de discussão no Yahoo!
* Embalagem Sustentável é contra spam

Veja também