Archive | novembro, 2009

jurl9

Tags:

Embalagem Origami

Postado em 30 novembro 2009 por Elisa Quartim

A linha de cosmético Australiana Jurlique desenvolveu uma embalagem com uma saída muito criativa. É uma embalagem feita com apenas uma folha sem usar cola.

A cola usa produtos tóxicos e dificulta a reciclagem.

Não apenas a parte gráfica ficou muito bem resolvida como aumenta a área da mensagem.

Além disso a empresa tem um programa de redução da pegada de carbono e usa produtos orgânicos.

Vejam a embalagem aberta.

Fonte: http://www.notcot.com/

Comentários (0)

DG2009

Tags:

Oficina de Embalagem Sustentável no DB2009

Postado em 28 novembro 2009 por Elisa Quartim

O DESIGN NA BRASA é um evento anual de design sustentável com oficinas, palestras e negócios.
O tema de 2009 será: “Os 3 Rs da Sustentabilidade. REDUZIR, REUTILIZAR e RECICLAR”.

O evento é a união de várias vertentes do design e de outras áreas relacionadas, a proposta é levar à sociedade conhecimento sobre eco-design, design sustentável e design social. Consiste em trazer discussões relacionadas aos temas anuais, apresentar e difundir novas técnicas e tecnologias, cases sustentáveis, materiais, alternativas de reciclagem e reuso, fomentar práticas sustentáveis, promover debates entre estudante, magistrados, agências, empresas e a sociedade através de palestras, debates e oficinas.

E nesse ano, eu, Elisa Quartim Barbosa, irei apresentar a oficina com o tema “Design e forma para a embalagem sustentável”. A oficina tem por finalidade mostrar a importância do designer na criação de embalagens mais sustentáveis. Para isso conceitos básicos sobre sustentabilidade, ciclo de vida do produto, reciclagem e exemplos do que já está no mercado serão apresentados. Faremos uma atividade prática estimulando o designer a repensar as embalagens atuais.

A oficina “Design e forma para a embalagem sustentável”
Quando
: 02 de dezembro
Horário: às 16:00

Design na Brasa
Quando
: 02 e 03 de dezembro
Horário: das 10:00 às 19:00

Endereço: MuBe (Museu Brasileiro de Escultura )
Av. Europa, 218 – Pinheiros – São Paulo – SP

Entrada é gratuita
Incrição: pelo site ou no próprio local do evento

Mais informações:
http://www.designnabrasa.com.br/
contato [arroba] designnabrasa [ponto] com [ponto] br

Comentários (0)

Twitter-bird-logo

Tags: , , , ,

Bate papo sobre #EcoDesign

Postado em 27 novembro 2009 por Elisa Quartim

Dia 25 de novembro participei de um bate papo organizado pela Carol Hoffmann (@carolhoffmann) do Blog Amenidades do Design sobre Eco Design via twitter. Participou também do bate papo a Ana Camargo (@AnaCamargo) do blog Branding 3.0 da Tátil Design. Tivemos também a participação de outros twitteiros como @logobr, @changzer e @gelserravalle.

Uma nova forma de se discutir idéias e que deu muito certo.

A Carol fez uma edição do papo, que vou reproduzir aqui.

@carolhoffmann – Para iniciarmos será que poderiamos listar os principios que consideram mais importantes a projetos eco?

@elisaqb – Podemos falar do tripé da sustentabilidade econômico, social e ambiental. Tudo surge daí.

@branding30 – Alguns principios que são encontrados em todos projetos da natureza; ciclo, óptimo, interdependencia

@carolhoffmann – Ótimo !! Vcs podem falar um pouco sobre cada um em tweets separados.

@elisaqb – Ambiental. O produto deve pensar em seu impacto desde a produção até o pós consumo.

@branding30 – Ciclo na natureza é o conceito que cada percurso está conectado ao próximo, de forma eterna.

@carolhoffmann – Ciclo – podemos definir como ciclo de vida do produto, certo?

@elisaqb – Isso mesmo!

@branding30 – No design, podemos dizer que o ciclo se refere ao ciclo de vida do produto.

@elisaqb – O ideal seria um ciclo infinito, que chamam do berço ao berço.

@branding30 – Mas é bem mais do que isso, é também a forma como ele entra em contato com usuários, lugares, materiais.

@carolhoffmann – Elisa cita o carater ambiental que ao meu ver equivale ao ciclo de vida do produto, certo?

@elisaqb – Geralmente para se calcular o ciclo de vida visa mais o lado ambiental

@branding30 – Uma análise de ciclo de vida de um produto também deve contemplar o social e econômico, os outros dois pés.

@elisaqb – Esse calculo pode focar em um ou mais aspectos ambientais, como emissão de gases, energia, etc

@branding30 – toxinas que fazem mal a pessoas, principios economicos que nao respeitam economias locais .

@elisaqb – Mas nada adianta se não for viável econômicamente e inacessível para a maioria das pessoas

@elisaqb – Ou se usar uma matéria prima de uma região que utiliza trabalho infantil para sua extração.

@branding30 – exatamente, elisa

@elisaqb – O designer tem a obrigação de pensar na funcionalidade para que não haja desperdício.

@carolhoffmann – Concordo com a Elisa, projeto deve ser pensado para não gerar desperdicio .

@elisaqb – Na hora do consumo é muito importante informar como foi fabricado, para ter critérios de escolha.

@branding30 – um dos principios mais importantes, eu acho, é a interdependência…

@branding30 – tudo está conectado a tudo!!! e é disso que temos que lembrar em toda criação

@carolhoffmann – neste caso a ana acabou de definir a interdependência, certo? Que ocorre em todo o ciclo, do berço ao berço .

@branding30 – somos responsáveis por todas nossas criações!

@branding30 – vejo muito nosso papel como os designers de novos serviços, maneiras de consumir, ideais.

@carolhoffmann – Vamos dar dicas práticas para os designers que estão nos acompanhando.

@branding30 – visitem designers accord, e leiam dicas, artigos, e livros que podem ajudar praticamente.

@carolhoffmann – Sempre questionar todo o processo de fabricação e o ciclo de vida do produto.

@carolhoffmann – Fale um pouco mais sobre as maneiras de consumir que citou, Ana.

@branding30 – porque comprar um celular a cada seis meses?

@elisaqb – A vantagem que vejo nesses novos aparelhos é que unem várias coisas em um objeto só, economizando material.

@branding30 – prefiro que os designers da nokia, por exemplo, joguem toda sua criatividade num aparelho incrível.

@branding30 – com o qual eu terei uma enorme conexão emocional, e por isso não vou querer descartá-lo com facilidade

@carolhoffmann – Concordo, o aparelho deve durar anos …

@branding30 – e pro qual a nokia pode me vender upgrades de tempos em tempos, criando uma relação de fidelização

@elisaqb – Em um futuro mais sustentável, a venda de serviços será a grande vantagem

@elisaqb – Assim teremos aparelhos atualizados sem consumo de material.

@branding30 – desenhando serviços, cria-se uma relação de negócios mais forte entre o consumidor e a nokia.

@carolhoffmann – Esta questão do celular é exatamente a tradução do criterio: Extender a vida util do produto

@branding30 – além de economizar material, se as pessoas jogam fora menos aparelhos, temos menos resíduos.

@carolhoffmann – e não devemos esquecer as embalagens! Devemos evitar excessos e tentar estender a vida util delas tambem.

@elisaqb – e podemos fazer isso questionando se a quantidade de embalagem utilizada é realmente necessária.

@branding30 – embalagens são grandes vilãs do nosso dia a dia…compõem 30% do nosso lixo!

@elisaqb – Embalagens eficientes não necessitam de sub embalagens

@carolhoffmann – E nós designer somos responsáveis por esse lixo que as embalagens geram…

@carolhoffmann – Todos devem ter mais consciência na hora de criar, evitar embalagens desnecessárias que serão descartadas rapidamente.

@branding30 – vejam a loja Unpackaged na Inglaterra…as pessoas levam suas próprias embalagens

@elisaqb – a loja Unpackaged, mesmo com essa proposta, teve que criar embalagens para guardar e retornáveis

@branding30 – é uma ótima novidade, que simplifica a vida do consumidor e reduz a quantidade de lixo.

@elisaqb – Hoje, não consigo ver um mundo sem embalagens. Temos apenas que melhorá-las

@branding30 – claro, é impossível nos livrarmos delas, né? mas desenharam embalagens mais duráveis.

@carolhoffmann – Mas temos o problema da cultura… Sera que no Brasil a Unpackaged daria certo?

@elisaqb – Acho que não é um problema só do Brasil, é uma mudança de pensamento geral.

@branding30 – eu acho que daria certo se pesasse no bolso…assim como funciona com a proibição de sacos plásticos.

@carolhoffmann – é verdade, na Alemanha funciona porque existem impostos e multas.

@elisaqb – Sobre a loja Unpackaged http://bit.ly/8QdzJ3

@elisaqb – As leis ajudam, mas o ideal seria não precisar delas e cada um fizesse a sua parte.

@branding30 – concordo elisa! apesar de serem consideradas “vilãs” do lixo, tem uma função indispensável.

@branding30 – mas acho importante o papel do governo, já que infelizmente não podemos contar com “a parte” de cada um.

@elisaqb – porém a embalagem reutilizável não pode ser a única solução, lotando casas

@elisaqb – Para ser reutilizável o design tem que ser muito legal para ninguém querer jogar fora.

@changzer – podemos desenvolver a embalagem de maneira que ela mesma seja utilizada como complemento do produto

@carolhoffmann – é esse tipo de pensamento que devemos ter como designers

@branding30 – para designers grafico, também recomendo design can change http://www.designcanchange.org/

@carolhoffmann – ontem tive um papo com @changzer sobre o uso do papelão transformando produtos em ecológicos.

@carolhoffmann – Sabemos que #ecoDesign não é apenas usar papelão e tintas a base de soja.

@carolhoffmann – Apesar do papelão ser uma materia prima que gera menos residuo no seu processo de fabricação.

@elisaqb – No #ecoDesign tudo depende (uso, descarte, transporte, etc.) temos que pensar em tudo.

@elisaqb – para produtos de longa duração melhor um material mais durável que o papelão

@branding30 – exatamente: #ecodesign também não pode ter apenas uma cara verde. Tem que ter um visual atraente, sempre.

@elisaqb – mas para eventos como o BDW as cadeiras de papelão foram perfeitas http://bit.ly/1GA7pc

@carolhoffmann – Essa exploração exagerada seria um eco wash? o que podemos considerar eco wash?

@branding30 – greenwashing é tentar “esverdear” uma marca, produto ou iniciativa mas de forma totalmente superficial.

@elisaqb – Faltam pessoas organizadas para apontar esses eco washs.

@carolhoffmann – :-) greenwashing, isso mesmo! ;-)

@elisaqb – greenwashing – sinto falta de um termo em português.

@branding30 – alguns sites que falam sobre greenwashing: http://www.greenwashingindex.com/

@branding30 – em inglês também dizem maquiagem verde, pode ser um bom termo para adotarmos ;-)

@carolhoffmann – Para melhorarmos o conhecimento do pessoal: Como podemos definir Design Sustentável?

@branding30 – de muitas maneiras!

@branding30 – é uma forma de projetar e criar levando-se em consideração pessoas e os impactos ambientais da criação.

@elisaqb – Design Sustentável – É um conjunto de ferramentas, conceitos e estratégias que visam desenvolver produtos e soluções mais sustentáveis.

@elisaqb – Definição visual do que é design sustentável no idds http://bit.ly/7onaCD

@carolhoffmann – vcs conhecem esse livro http://bit.ly/9yoS5? Considero uma boa leitura para conscientização.

@elisaqb – Esse livro é mais focado no design gráfico. Muito bom. http://bit.ly/7IJUf5

@carolhoffmann – pensar sobre esses acessórios ou objetos é função nossa, função exatamente do designer in reply to @riccardobenetti

@gelserravalle – O que vocês tem a dizer sobre a ênfase que se tem dado aos derivados de bamboo?

@branding30 – acho que nenhum material é a única solução para um design mais sustentável in reply to gelserravalle

@carolhoffmann – Vale a mesma máxima do papelão, depende do uso e não vale desmatar para plantar a materia prima in reply to @gelserravalle

@carolhoffmann – O @changzer indica este para saber + requisitos ambientais de produtos industriais http://twitpic.com/qvyrc

@elisaqb – Esse livro é um dos mais citados. A bíblia! http://twitpic.com/qvyrc in reply to changzer

@carolhoffmann – Para finalizar vou colocar algumas definições para o pessoal, complementem por favor.

@carolhoffmann – #ecoDesign é um meio de reduzir ou eliminar impactos ao meio ambiente, substituindo produtos e processos por outros menos nocivos.

@carolhoffmann – Use material de baixo impacto ambiental: menos poluentes, não-tóxico, de produção sustentável ou reciclados, ou que requerem menos energia na fabricação.

@carolhoffmann – Escolha processos de fabricação que utilizem menos energia.

@elisaqb – Muito difícil escolher um processo de fabricação. Precisaria de uma análise.

@carolhoffmann – É verdade, cada caso é um caso a ser estudado em particular.

@elisaqb – Usar materiais que sejam de fontes renováveis.

@carolhoffmann – Qualidade e durabilidade: produzir produtos que durem mais tempo e funcionem melhor a fim de gerar menos lixo.

@carolhoffmann – Propor objetos feitos a partir da reutilização ou reaproveitamento de outros objetos.

@carolhoffmann – criar ciclos fechados sustentáveis, como a Elisa disse do berço ao berço.

@carolhoffmann – Para finalizar… Vcs conhecem casos de modularidade no projeto que se encaixem no #ecoDesign ?

@elisaqb – Os móveis do BDW eram modulares e feitos de papelão reciclado.

@changzer – modularidade pode prever atualizações, ótima saida pra #ecoDesign

@branding30 – modularidade, em muitos casos, já é um benefício por ter um processo produtivo melhor e ter usos diversos.

@carolhoffmann – Gente, gostaria de agradecer, acho que nosso bate papo foi super produtivo e informativo para todos, certo?

@branding30 – certíssimo! foi super bacana, carol!

@elisaqb – O bate papo foi ótimo! Carol obrigada pelo convite.

@carolhoffmann – Iniciamos um processo de pensamento coletivo sobre #ecoDesign muito produtivo para todos.

@elisaqb – Vcs podem me encontrar também no @emb_sustentavel e @iddsinfo

@branding30 – Brigada, galera! Vcs podem me encontrar no twitter @branding30 ou no @AnaCamargo

@carolhoffmann – Também gostei muito. Acho que podemos fazer outros destes :-) )

@carolhoffmann – Muito obrigada pela presença de vcs e de todos os que participaram!! :-)

Comentários (0)

Ecova_Bordeuax

Tags:

Mudança no design economiza vidro

Postado em 24 novembro 2009 por Elisa Quartim

Muitas vezes com uma pequena mudança na forma da embalagem traz economia e benefício ambiental, além de uma parceria em todas as partes envolvidas na concepeção da embalagem, unindo design e engenharia. Isso tem ocorrido na indústria de vinhos.

Várias vinículas estão reduzindo o peso das garrafas, diminuindo o uso de vidro e as emissões de gases poluentes no transporte e no próprio processo de fabricação.

A vinícula argentina Norton lançou em maio uma linha de garrafas ecologicamente corretas. De acordo com os produtores, as novas garrafas são 15% mais leves que as convencionais e vão poupar, só neste ano, mais de 700 toneladas de vidro. Estava prevista, também, uma diminuição de 7% na quantidade de energia gasta na fabricação das garrafas.  A garrafa foi desenvolvida pela Saint Gobain Rayen Curá.

A chilena Viña Ventisquero anunciou neste mês o uso de novas garrafas Ecoglass nas linhas Reserva e Varietal, que permitirão diminuir em 12% o peso das garrafas.

Já a operação brasileira da Saint-Gobain Packaging lançou recentemente o projeto ECOVA, focado no desenvolvimento de embalagens “eco-projetadas”. As embalagens têm um peso significativamente menor do que as embalagens comuns, utilizando até 15% menos matéria-prima e, conseqüentemente, menos energia na sua fabricação.

Com as embalagens ECOVA também é possível atingir uma redução de 15% na emissão de CO2 durante o processo produtivo. Para cada 10% a mais de caco de vidro reciclado, a energia na produção de garrafas seria reduzida em até 4%. Além disso, haveria uma redução de 6% na emissão de poluentes e até mil unidades a mais por carregamento.

As garrafas de vidro Ecova serão lançadas no primeiro semestre de 2010 para envase de vinhos. A expectativa da empresa é comercializar cerca de 30% de seu volume nessa nova concepção.

Hoje a operação brasileira da Saint-Gobain Embalagens utiliza 150 mil toneladas de vidro reciclado/ano na sua produção de garrafas de vidro (800 milhões de garrafas e potes em 2008), dos quais 120 mil toneladas/ano de caco externo reciclado e 30 mil toneladas/ano de caco próprio. Mas, esse conceito já utilizado pela matriz francesa há 35 anos.

Fonte:

http://www.clicrbs.com.br/

http://www.pack.com.br/

http://www.saint-gobain.com.br

http://www.ventisquero.com/

http://www.glassglobal.com/

Comentários (0)

Dell-Bambú-640×546

Tags: ,

Notebook da Dell em embalagem de bambú

Postado em 23 novembro 2009 por Elisa Quartim

Chega ao mercado o novo notebook Dell Inspiron Mini 10 and 10v em uma nova embalagem que substituiu o isopor por polpa de bambú moldada para proteger seus componentes.

A Dell escolheu o bambú porque esses motivos:

  • Crescimento muito rápido. Por ser um membro da família das gramíneas, está entre as plantas lenhosas de crescimento mais rápido no mundo. Ela pode crescer até 24 centímetros por dia e atinge a maturidade plena colheita em três a sete anos, significativamente mais rápido que folhosas.
  • É forte. Notavelmente, resistência à tração do bambu é similar ao do aço, tornando-se um material confiável para proteger o equipamento de tecnologia em trânsito.
  • É ecológico. Bambu ajuda a promover uma colheita saudável. As plantas de raízes profundas protegem contra a erosão do solo e, quando colhidas corretamente, ele não exige replantio após a colheita.

Eles pretendem começar a utilizar este material em outros produtos a partir 2010.

Já as caixas são feitas em papelão ondulado 100% reciclável, sendo que uma parte dele é reciclado. Como não poderia ser feito de um papel 100% eles se dedicaram em reduzir o tamanho da caixa.

Fonte:

http://gizmologia.com/

http://content.dell.com/

Comentários (0)

Tags:

Novo endereço

Postado em 22 novembro 2009 por Elisa Quartim

O blog embalagem sustentável agora tem novo endereço.

http://www.embalagemsustentavel.com.br

Comentários (0)

Biscoito_Salgado_Cream_Cracker_Fibras_400g

Tags:

Cream Cracker com Fibras Mabel

Postado em 21 novembro 2009 por Elisa Quartim

Sustentabilidade e visibilidade para o Cream Cracker com Fibras Mabel

O objetivo do design da embalagem do biscoito Cream Cracker com Fibras da Mabel é informar sua preocupação com o meio ambiente e com o mundo.

Com design assinado pela Pande, a embalagem é feita em papel Kraft e comunica os projetos sociais da Mabel. O projeto gráfico transmite os ideais de sustentabilidade e responsabilidade social da empresa, mostrando que ela se enquadra no movimento global de preocupação e cuidado com o planeta e com as futuras gerações.

A embalagem de Mabel Verde inova por seu design diferenciado, onde biscoitos formam imagens que traduzem a contribuição do produto e da empresa para um mundo melhor, e também pela utilização do Kraft, inovação no mercado brasileiro na categoria e em “flowpack”. Um material reciclável e naturalmente biodegradável por ser de papel, diferentes de outros biscoitos que são vendidos em embalagens metalizadas não recicláveis

Foi finalista do Prêmio ABRE Design & Embalagem na categoria sustentabilidade.

Com esta nova embalagem, a Mabel ganha destaque em gôndola e garante que o consumidor entenda seus valores e convicções, agregando valor à imagem da marca e diferenciando-a das demais.

 

Fonte: http://www.pande.com.br/

http://www.mabel.com.br/

Comentários (0)

eco citrus

Tags:

Ecocitrus

Postado em 19 novembro 2009 por Elisa Quartim

 

Ecocitrus é a marca de uma cooperativa do interior do Rio Grande do Sul que atua na produção de sucos orgânicos.

O projeto desta embalagem, desenvolvido por BHZ Design, foi pensado ecologicamente em todas as suas etapas. A embalagem é em vidro retornável e o rótulo foi produzido em papel reciclado.

O layout do rótulo transmitisse o pensamento global de vida saudável, através de uma produção utilizando somente recursos naturais, dentro das mais corretas políticas ambientais de sustentabilidade.

O produto é rigorosamente ecológico por ser orgânico.

 

Aqui estão sete motivos para se consumir produtos orgânicos, segundo o site Ambientebrasil:

1. Evita problemas de saúde causados pela ingestão de substâncias químicas tóxicas. Pesquisas e estudos têm demonstrado que os agrotóxicos são prejudiciais ao nosso organismo e os resíduos que permanecem nos alimentos podem provocar reações alérgicas, respiratórias, distúrbios hormonais, problemas neurológicos e até câncer.

2. Alimentos orgânicos são mais nutritivos. Solos ricos e balanceados com adubos naturais produzem alimentos com maior valor nutritivo.

3. Alimentos orgânicos são mais saborosos. Sabor e aroma são mais intensos – em sua produção não há agrotóxicos ou produtos químicos que possam alterá-los.

4. Protege futuras gerações de contaminação química. A intensa utilização de produtos químicos na produção de alimentos afeta o ar, o solo, a água, os animais e as pessoas. A agricultura orgânica exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos ou qualquer produto químico; e tem como base de seu trabalho a preservação dos recursos naturais.

5. Evita a erosão do solo. Através das técnicas orgânicas tais como rotação de culturas, plantio consorciado, compostagem etc., o solo se mantém fértil e permanece produtivo ano após ano.

6. Protege a qualidade da água. Os agrotóxicos utilizados nas plantações atravessam o solo, alcançam os lençóis d’água e poluem rios e lagos.

7. Restaura a biodiversidade, protegendo a vida animal e vegetal. A agricultura orgânica respeita o equilíbrio da natureza, criando ecossistemas saudáveis. A vida silvestre, parte essencial do estabelecimento agrícola é preservada e áreas naturais são conservadas.

Fonte: http://bhzdesign.com.br/

http://www.ecocitrus.com.br/

 

Comentários (0)

plantbottle

Tags:

PlantBottle – garrafa à base de planta da Coca-Cola

Postado em 18 novembro 2009 por Elisa Quartim

A Coca-Cola anunciou que começará a comercializar a partir dos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver em 2010 uma nova garrafa onde 30% do material do PET usado na garrafa é à base de plantas.

A empresa utiliza cana-de-açúcar e melaço que se transformam em um componente chave para a embalagem. Eventualmente eles esperam usar coisas como lascas de madeira e talos de trigo.

Outros produtos como Cola Zero, Diet Coke, água DASANI, Sprite, Fresca, Barqs e Fanta, também da Coca-Cola serão embaladas nesse material e comercializados no Canadá em início de dezembro.

Fonte: http://pakbec.blogspot.com/

http://cokenews.ca/

Comentários (5)

dN6

Tags:

Caixa de embarque e display de manga

Postado em 17 novembro 2009 por Elisa Quartim

Esta embalagem para exportação de manga da Tailandia para o Japão é feita com material 100% biodegradável, ao invés do isopor, que é de difícil a reciclagem e não se degrada tão fácil.

A caixa de embarque é produzida em polpa de papel moldado e a caixa display é feita em polpa de cana-de-açúcar.

Ela é feita com 2 caixas que podem ser separadas e que contém 6 mangas cada uma. Uma pequena área para ventilação protege o produto contra insetos e deixa circular o ar dentro da embalagem.

Seu sistema de abertura e fechamento é fácil de ser manipulado deixando o produto pronto para ser vendido no varejo. E cada fruta é protegida separadamente valorizando visualmente ainda mais a fruta.

Vejam o processo de criação.

Fonte: http://www.behance.net/

Dica do Tiago Torres  http://www.tiagotorres.com.br

Comentários (0)

Advertise Here

Assine

Insira seu endereço de email nos campos abaixo:
Newsletter Embalagem Sustentável

 
Receba atualizações do site via FeedBurner

Grupo EmbalagemSustentavel
Nossa lista de discussão no Yahoo!
* Embalagem Sustentável é contra spam

Veja também