Dicas de Sustentabilidade

Postado em 06 agosto 2008 por Elisa Quartim

Para se ter uma idéia do que pode ser feito para uma embalagem se tornar sustentável, achei muito interessante as dicas passadas pelo designer Martin Bunce da agência Tin Horse. Elas podem ser aplicadas em todos os projetos de design de embalagens. Dão uma visão que devemos pensar em todos os aspectos que envolvem a embalagem.

  1. A atual preocupação com práticas sustentáveis se deve ao fato de que os recursos globais que garantem as atividades humanas estão se esgotando cada vez mais rápido.
  2. A sustentabilidade é relacionada com as pessoas e a economia, além do meio ambiente. A definição de sustentabilidade do Relatório Brundtland, desenvolvido pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento é: “o desenvolvimento sustentável lida com as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”.
  3. A sustentabilidade exige criatividade e persistência para lidar com as numerosas e complicadas variáveis que a circundam. Essas habilidades são pré-requisitos do designer de embalagens.
  4. Quando se cria designs levando em conta a sustentabilidade, você precisa trazer os problemas para a sua realidade. O aquecimento global e as emissões de gases que colaboram para o efeito estufa são apenas detalhes hoje. Quer você acredite ou não, há inúmeros outros tópicos que colaboram para o estado lamentável do meio ambiente.
  5. Não pense muito sobre qual seria o melhor modo de se criar uma embalagem ecológica. Pense no que acontece depois da fabricação de determinado objeto: o que é necessário fazer para produzir a sua embalagem de que modo as pessoas utilizam o produto e o que elas fazem quando não precisam mais dele.
  6. O que deve ser considerado antes da criação do design de uma embalagem é: a quantidade de água que é poluída e a quantidade de CO2 emitida.
  7. Sustentabilidade, marca e briefings inovadores são elementos que raramente aparecem juntos. Entretanto, algumas empresas estão se esforçando para atingir objetivos coorporativos e sustentáveis ao mesmo tempo. Como designer de embalagens não espere que todos os seus clientes sejam amigos do meio ambiente. Vá atrás de soluções sustentáveis antes.
  8. A análise do ciclo de vida da embalagem é muito útil para compreender o ciclo de vida de um produto. Felizmente, nesse ciclo, as embalagens não são as vilãs. Proteger e entregar um produto de forma eficiente é fundamental para a sustentabilidade. Os principais vilões desse processo são os componentes, a fabricação, a distribuição e o uso.
  9. Não se trata de uma guerra de materiais; alas, tenha cuidado ao dizer que um material é mais ecológico que outro. O Brasil, por exemplo, coloca grande parte do seu lixo em aterros ou nos lixões, enquanto outros países incineram o lixo. O papel, por exemplo, libera uma desagradável mistura de metano (gás mais nocivo do que o CO2) quando enterrado.
  10. Os designers podem ter tanta importância à sustentabilidade como para qualquer outro aspecto de um briefing. De qualquer forma, as expectativas devem ser claras e se encaixarem nas demandas do projeto. A classificação exibida acima é baseada em duas questões fundamentais: você sabe o que quer? E você sabe como fazer isso?
  11. Reciclagem. Essa deveria ser um requisito básico para a maioria das embalagens. No topo da cadeia de alimentos, estão as embalagens PET, totalmente recicláveis, e as embalagens da Tetra Pak, que podem ser transformadas em alumínio e vaselina, por exemplo. Na base da cadeia estão a incineração e o uso de materiais que viram adubo.
  12. Alguns briefings que recebemos são chamados de exercício “just do it” (ou apenas faça). Porém antes de criar o primeiro protótipo sem refletir um pouco sobre o assunto, tire algumas dúvidas com especialistas escolhidos a dedo. Não fique com nenhuma dúvida em mente.
  13. A aparência e a linha ideológica devem estar bem definidas, porém, a sustentabilidade é influenciada pelo comportamento atual da marca, característica que possui papel fundamental na embalagem.
  14. O questionamento é um passo importante na criação de um projeto sustentável. A fabricação de plástico comum não será mais ecológica do que em PET, devido a fatores como o transporte do material, por exemplo? Faça todas as perguntas necessárias antes de partir para a próxima etapa.
  15. A maioria dos clientes e designers pode ficar confusa na etapa de concretização de um projeto, mas ainda é possível ser sustentável e criativo. Contudo, é importante permanecer focado na sustentabilidade se o projeto permitir essa característica, o que deve ser descoberto ainda na etapa de conceituação.
  16. Compreenda o ciclo de vida do produto: sua origem, como ele é fabricado, como e onde é usado e o que acontece quando ele é descartado, além de descobrir possibilidades diferentes dos padrões existentes e algumas informações sobre os produtos concorrentes. Quando o assunto é sustentabilidade, as estimativas são feitas apenas a partir de comparações.
  17. Descubra o que puder sobre o produto, a embalagem, os processos de fabricação, a linha de distribuição, sem esquecer da venda. Não economize tempo para saber em que etapa da produção ou do consumo ocorre o desperdício e explore soluções em design para diminuir o problema.
  18. Pense na “digestão” do produto: o que os consumidores fazem com ele enquanto o utilizam e quando o descartam. Entenda como o produto e a embalagem ditam as práticas do consumidor e também como essas práticas definem a embalagem e o produto.
  19. Pense em todos os ramos, setores ou sistemas nos quais a embalagem influi, ou até mesmo se ela define um novo sistema. Teste todas as idéias que tiver. Os estágios conceituais e de avaliação podem não dar certo, então, se acostume a pensar inúmeras idéias e fazer diversas tentativas. Converse com especialistas na área.
  20. Esteja preparado para fazer com que apelos sustentáveis do produto seja atraentes para um público acostumado com a rotina de prazer e conveniência. As pessoas podem admirar a sustentabilidade, mas o controle do desperdício domiciliar é o principal fator que influencia a busca de soluções mas sustentáveis hoje.

Não se convença se uma embalagem aparentar ser sustentável. Sempre há algo a ser feito; desde remodelar a estrutura da embalagem para retirar pequenos excessos até repensar os princípios fundamentais das embalagens.

Fonte: Matéria com Martim Bunce, da agência Tin Horse. Especial “Design de embalagem” da revista Computer Arts Projects.

2 Comente este post

  1. silvana zambon Says:

    Olá, tenho pesquisado sobre embalagens sustentáveis e achei vcs, moro no RS e estou iniciando um projeto onde necessito de embalagens para refeições e que gostaria que tivesse este apelo de sustentabilidade, aqui em Porto Alegre não tenho referências de onde encontrar, será que vcs poderiam me indicar onde posso encontrar esse tipode material? Agradeço muito !
    silvana

  2. kenia Says:

    faço biologia,fui chamada p/ fazer estágio em uma fábrica de cosméticos,queria muito ,idéia p/ desenvolver embalagens reciclaveis,por onde começo…pois adoro a área de preservação…impacto…meio ambiente…mas naum sei aonde devo começar…ficaria grata…
    cordial abraço

1 Trackbacks For This Post

  1. Blog Embalagem Sustentável faz 2 anos « Embalagem Sustentável fala:

    [...] No dia 6 de agosto de 2008 nasceu o blog embalagem sustentável, onde foi feito o primeiro post com dicas de sustentabilidade na embalagem. Vejam aqui. [...]

Deixe uma resposta

Advertise Here

Assine

Insira seu endereço de email nos campos abaixo:
Newsletter Embalagem Sustentável

 
Receba atualizações do site via FeedBurner

Grupo EmbalagemSustentavel
Nossa lista de discussão no Yahoo!
* Embalagem Sustentável é contra spam

Veja também